21/10/2021 às 13h24min - Atualizada em 21/10/2021 às 01h22min

Mae, estou bem: A garota que se aventura sozinha

Taise Magalhães - Editado por Matheus Da Fonseca
Fonte : Bianca Mendes
 

É muito comum viajar entre amigos e familiares quando se é mulher. Mas, viajar sozinha é colocar a prova todo o conhecimento e o feminismo que é capaz de exercer durante os perigos. Bianca Mendes, de 28 anos é uma dessas mulheres que desde o ano de 2017 vêm quebrando barreiras de que mulher não pode viajar sozinha. Os perigos nas estradas, o machismo muitas vezes presente, lugares que precisa ter muita coragem para poder ir, nada disso impede de que ela se aventure confirmando assim a frase da Chimamanda Ngozi Adichie que diz: lugar de mulher é onde ela quiser!”. 

A partir deste momento a entrevista que vai ser apresentada é uma verdadeira história de superação e que sirva de inspiração para várias mulheres, não percam as dicas e se aventure nesta viagem.
 

Taise Magalhães:  Ser dona da plaquinha (mãe, estou bem) é uma verdadeira história de amor. Como que tudo começou?
 

Bianca Mendes: Mãe estou bem, começou quando a minha mãe veio de Pernambuco ganhar a vida em São Paulo, aqui ela casou e construiu uma família, ocorreram problemas no casamento que deixaram traumas.  Aos 8 anos de idade eu fui abusada sexualmente e isso me privou de muitas coisas, a minha mãe tinha medo de como as pessoas poderiam me tratar, eu não podia fazer trabalhos de escola com os meus colegas e a minha infância era muito privada. A minha mãe só queria me defender da maldade de outras pessoas, eu tenho muito orgulho dela. Quando eu decidir que iria viajar e ser nômade no início foi complicado para ela, pois a criação e a religião de uma certa forma prendem a uma ideologia de que mulher nasceu para casar e só depois poder viajar com o marido. Na primeira viagem que foi para Colômbia em 2017, eu queria impactar, não queria ser apenas mais uma brasileira e mulher viajando e com isso eu fiquei procurando maneiras de que pudessem causar essa reação, até que me veio na cabeça o cuidado de uma mãe para com filho e sua preocupação e com isso a placa (MÃE, ESTOU BEM) surgiu. 
 

Taise Magalhães: Qual foi o momento que você decidiu que precisava viver essa aventura de viajar sozinha? 
 

Bianca Mendes: Foi logo depois que me formei na faculdade, queria que fosse antes, mas estudante e ajudando em casa era um pouco difícil juntar dinheiro. Precisava investir em saúde mental e me conhecer, entrei na terapia antes de tudo e depois decidir que precisava evoluir, comecei a juntar dinheiro e decidir que em 2017 era a hora de me aventurar. 
 

Taise Magalhães: Como que é viajar sozinha sendo mulher? 
 

Bianca Mendes: Medos, mas não do que pode dar errado, frio na barriga de lugares de que nunca fui antes. Existe uma vontade de conhecimento e a curiosidade conhecer culturas diferentes, o que me deixa mais feliz é que vou conhecer gente nova. Por mais que viaje sozinha nunca volto sozinha, sempre volto com as histórias e novas amizades. Já até me apaixonei em uma dessas viagens um amor que foi real.  

Taise Magalhães: Já passou por algum país, ou lugar que te julgaram por ser mulher e estar sozinha? 
 

Bianca Mendes: Julgamento não, mas questionamentos sim. Em uma viagem a Bolivia na feirinha tinha uma comerciante bem velhinha que estava vendendo blusas de Lhama que é algo cultural na região me questionou se eu estava sozinha e o porquê de estar sozinha, e esse dia estava um solzinho então não vestir roupas muito quente, eu ia visitar o salar de Uyuni (mar de sal) e como em fui em época de frio ela achou que eu só tinha aquela roupa do corpo e me deu uma blusa da qual ela vendia. A informei que eu tinha mais roupas e que não precisava, mas ela fez questão de que eu levasse. Foi mais questão de preocupação mesmo. 
 

Taise Magalhães: Quais os desafios são mais prováveis de acontecer? 
 

Bianca Mendes: Depende muito, dores de cabeça por causa de altitude, linguagem local, e alguns desafios de adaptação esses podem ser alguns desafios que podem ser mais prováveis acontecer. 
 

Taise Magalhães: Já presenciou ou passou por situações de machismo em alguma viagem? 
 

Bianca Mendes: Já fui agredida numa praia no Brasil pois não queria ficar com o cara que era amigo do guia da empresa que havia contratado, ele me fazia perguntas do tipo quem pagava minhas viagens, com quantos homens eu tive que me deitar para crescer dentro da minha empresa e no Peru quando fui enganada por um guia que cobrou o dobro do que tínhamos combinado, tive que mudar todo o roteiro por medo pois ele chegou a ir no hostel me procurando, pois eu pedi de volta o dinheiro que já havia pago a ele. 
 

Taise Magalhães: Quais as dicas você dar a quem tem esse desejo de se aventurar sozinha? 
 

Bianca Mendes: Faça terapia, se encontre primeiro. A maior dica é respeitar a cultura do local, religião e as pessoas; decidir para onde vai, ter certeza do destino; veja passagem de viagem de avião de quarta-feira na madrugada pois são sempre mais baratas; verificar se o cartão de crédito possui pontos para trocar por milhas, Airbnb é um ótimo recurso para quem quer ter privacidade e é bem em conta se souber procurar; Hostel para fazer amizades facilmente, e é muito econômico; Pesquisas no Instagram dos lugares que deseja viajar, aplicativos de viagens ; grupos de mochileiros no facebook. Trocas de serviços por lugar de dormir, sempre levar dinheiro a mais e o mais importante pesquise muito bem sobre o lugar antes de viajar principalmente sobre a cultura.
 

Taise Magalhães: Você se sente segura nessas viagens? 
 

Bianca Mendes: Eu me sinto segura se pesquiso sobre os locais com antecedência, mas sempre a um medo do que pode acontecer.  

Mãe, estou bem, foi criado com o intuito de ajudar outras mulheres que desejam se aventurar sozinha, antes de publicar ou compartilhar um roteiro Bianca estuda sobre o lugar e viaja até o local para conferir as melhores opções e diminuir os ricos de algo possa ocorrer. O perfil no Instagram é onde ela posta todos os seus conteúdos sobre as viagens e o projeto é bem recente, mas que agrega com conteúdo bastante relevante. Bianca termina a entrevista com a frase  " Vá com a mente aberta, são coisas boas".

 


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »