25/11/2021 às 17h28min - Atualizada em 25/11/2021 às 17h06min

Saiba como foi a volta de “Harry Potter e a Pedra Filosofal” aos cinemas

Em comemoração aos 20 anos de lançamento do primeiro filme da franquia, fãs tiveram a oportunidade de assisti-lo novamente nas telonas

Gabriela Armelin - editado por Luhê Ramos
O filme foi exibido, pela primeira vez, em 23 de novembro de 2001 nos cinemas brasileiros. | Foto/Reprodução: CineBuzz

Em comemoração aos 20 anos do lançamento de “Harry Potter e a Pedra Filosofal” nos cinemas, a Warner Bros decidiu comemorar em grande estilo e trouxe o filme de volta às telonas por um dia, com a disponibilidade do modo 3D.

 

No último domingo (21), milhares de potterheads foram aos cinemas selecionados - tal como as sessões - por todo o país para assistir ao primeiro filme da franquia de Harry Potter. A reexibição rendeu mais de R$6,68 milhões somente no Brasil. Foram vendidos mais de 300 mil ingressos, tornando “Harry Potter e a Pedra Filosofal” o segundo filme mais visto entre os dias 18 e 21 de novembro, ficando atrás apenas de “Eternos”, da Marvel Studios. 

 

Os eventos reuniram uma multidão de fãs por todos os estados. Em entrevista com potterheads que compareceram às sessões foi possível entender com mais detalhes como tudo ocorreu.

Os relatos dos fãs

A maquiadora profissional, Camila Viana, de 32 anos, contou ter começado a acompanhar o universo a partir da estreia de “Harry Potter e as Relíquias da Morte Parte 2”. Desde então, tornou-se uma grande fã. “Eu estava no trabalho e do nada comecei a receber muitas mensagens dos meus amigos me avisando que o filme voltaria ao cinema [...] eu fiquei muito emocionada, comecei a chorar muito e a planejar cosplay... foi aquela loucura”, disse Camila. 

 

“Um domingo memorável” foram as palavras usadas por Camila para descrever o dia: “Todos estavam muito empolgados, nem todo mundo fez cosplay, mas todos vestiram pelo menos uma camiseta para homenagear sua casa de hogwarts”. Mencionou ainda, que a melhor parte de toda a experiência - além de assistir ao filme - foi ver as pessoas vibrando com as cenas: “Eu fiquei toda arrepiada”.

Maiara Machado, de 23 anos, compareceu à sessão cinematográfica disponibilizada pela Cinemark em Salvador. Contudo, se mostrou insatisfeita quanto aos preços: “Os ingressos venderam apenas por um dia e se esgotaram em minutos. Eu não gostei da experiência na Cinemark, preços caros por produtos de baixa qualidade”, opinou. 

 

Entretanto, viver essa experiência ao lado de seu noivo e sua amiga de infância superou os pontos negativos: “Foi mágico, incrível! Não me decepcionei e foi muito gostoso assistir o filme em 3D! Tinha apenas 3 aninhos quando foi lançado em 2001. Eu iria para TODOS os filmes!”, declarou Maiara.

A criadora de conteúdo sobre a franquia, Beatriz Glion, se tornou fã do universo de Harry Potter durante a pandemia e também marcou presença no cinema em 21 de novembro. Apesar de ter se mostrado um tanto chateada com a atitude de algumas pessoas durante a exibição do filme, esse detalhe não foi o suficiente para atrapalhar a sensação do momento: “Admito que fiquei um pouquinho decepcionada, porque na minha sessão as pessoas pediam silêncio toda vez que alguém começava a recitar alguma fala, mas uma quantidade pequena interagia sim, foi incrível! Uma emoção que não dá para descrever”, comentou.

 

“Foi uma emoção que eu acredito que nunca mais vou sentir nada parecido na vida! É bizarro como já vi esse filme umas 100 vezes, mas no cinema o sentimento foi ainda melhor já que estávamos todos reunidos e transbordando de amor. Cheguei a falar no meu twitter que quase morri de emoção na hora de ver a cena do jogo de quadribol em 3D, foi especial demais [...] Acho difícil que isso vá se repetir algum dia, então tentei aproveitar ao máximo”, expôs Beatriz. 

Júlia Lemos, de 26 anos, também compartilhou sua vivência em Novo Hamburgo. Por conta da demanda, 3 sessões foram abertas ao longo da tarde. Júlia relatou que muitas pessoas estavam vestidas com camisetas da saga, máscaras de proteção com estampas de Harry Potter e até mesmo caracterizados com uniformes de Hogwarts. Mas, foi a faixa etária dos indivíduos presentes que a surpreendeu: “Uma coisa que me chamou atenção, foi o fato de que haviam pouquíssimas crianças na sessão. Foi realmente um momento nostálgico para os fãs que já acompanham a saga há tanto tempo”, concluiu Lemos. 

 

Quando questionada sobre qual a sensação de vivenciar essa experiência, Júlia detalhou seu sentimento: “É um momento nostálgico, mas ao mesmo tempo não é, pois o Harry nunca deixou de fazer parte da minha vida. Ele sempre esteve presente de alguma forma, e de um jeito tão intrínseco, que acabou também fazendo parte da vida das outras pessoas ao meu redor, através de mim. Então acho que, na verdade, foi uma sensação de reafirmação daquilo que o Dumbledore diz em "A Câmara Secreta": "Hogwarts sempre estará lá para ajudar aqueles que a ela recorrerem". E pra mim, ela continua sendo o melhor dos refúgios”.

Já Graziela Araldi de Oliveira, de 39 anos, foi à exibição do filme com seu filho - Murillo - de 14 anos, que também é fã da saga. Em entrevista, ela mencionou que conheceu os livros em 2002: “Uma colega terminou o namoro e recebeu de volta os livros que tinha presenteado o antigo namorado. Peguei emprestado e me apaixonei [...] A partir dali assisti todos os lançamentos no cinema e comprei os livros”.

 

Exemplificou também como o universo de Harry Potter é significante para ela e seu filho: “Meu filho assiste comigo a saga desde o “Harry Potter e a Ordem da Fênix”, nessa ocasião ainda em minha barriga, com 7 meses de gestação. Comprei o livro “Enigma do Príncipe” também e o devorei em 15 dias em meio as preparações para o nascimento do Murillo”.

 

Contou ainda sobre a caracterização do público e o sentimento de poder assistir “Harry Potter e a Pedra Filosofal” nos cinemas: Moro em Floripa e assisti a sessão das 11:00 [...] Tinha alguns fãs com cachecol, camisetas e varinhas, mas nada muito caracterizado, talvez pelo horário. Nostalgia define. Foi lindo, emocionante, épico”. Quando questionada sobre qual teria sido a melhor parte de todo o acontecimento, ela deixou claro: “Foi estar do lado do meu filho e com a possibilidade do 3D”.

Segundo Tainan Pimenta, de 30 anos, a emoção foi extremamente forte quando descobriu que teria a oportunidade de assistir “Harry Potter e a Pedra Filosofal” nos cinemas. Quanto à sessão, contou ter sido a realização de um sonho: “Pude realizar o sonho da Tainan de 10 anos, eu não fui ao cinema ver o primeiro filme. Mas assistia ao VHS 3 vezes ao dia”.


“Foi emocionante [...] Não sei ao certo se tinha muita gente interagindo, mas bem do meu lado tinha uma criança que era fã, e foi muito fofo ver ela falando "essa é a minha parte favorita né mãe?!", mencionou Tainan. Além disso, ainda explicitou mais um motivo para o dia 21 ter sido especial: “Eu fui com uma amiga que também é muito fã, e como a gente se conheceu no pós filmes, nunca achamos que poderíamos ir juntas ver Harry Potter no cinema, foi muito legal”.

Beatriz de Alcântara, de 24 anos, também deu seu relato de como foi a exibição em João Pessoa (PB): “Fui sozinha. Tinha muita gente de idades variadas, a maioria estava usando ao menos uma camisa temática da saga. Teve gente de cosplay. Durante o filme as pessoas interagiram, algumas repetiam falar, outras riam e se emocionavam. A sala estava lotada, dentro da disponibilidade em relação à pandemia”.

 

“Pra mim foi muito especial, porque na época em que os filmes saíram, eu não era fã [...] A sensação de ver A Pedra Filosofal em 3D foi surreal, porque é um dos filmes mais ricos em detalhes, é o filme que introduz e apresenta Hogwarts e toda aquela magia, então ele já tem todo esse encanto e na imagem tridimensional ficou mais encantador e apaixonante ainda”, declarou Beatriz.

 

Por fim, o potterhead Diego Vasconcelos, de 17 anos, comentou que esperava, no início da sessão, alguma mensagem especial sobre a comemoração dos 20 anos de lançamento. Entretanto, mesmo sem esse detalhe, definiu a experiência como “simplesmente incrível”. 

 

“Muitos dizem que é besteira ir assistir no cinema e pagar pra ver, sendo que está disponível online e tudo mais, mas a experiência de conseguir assistir o que a gente tanto ama nas telonas, pra quem não teve a oportunidade de assistir nos cinemas como eu, principalmente em 3D, foi muito divertido”, explicou Diego. 
 

Interações ao longo do filme
 

Diversas pessoas comentaram sobre a interação frequente dos fãs durante a passagem do longa, principalmente nas cenas mais icônicas do filme. Um exemplo, foi o trecho com o famoso diálogo entre Ronald Weasley (Rupert Grint) e Hermione Granger (Emma Watson): “É LeviÔsa, não LeviosÁ”. Além disso, muitos potterheads apreciaram os momentos e falas mais engraçados de Rony, como “Ela tem que decidir o que é prioridade” e o diálogo inicial entre Harry Potter (Daniel Radcliffe), Draco Malfoy (Tom Felton) e Rony. 

 

Outro fragmento muito falado pelos fãs foi a partida de quadribol presente no filme. “A partida de quadribol foi minha parte preferida, era como se estivéssemos em Hogwarts, no campo mesmo, gritando e torcendo juntos”, disse Heloísa Torres, de 14 anos. 

 

Maiara Machado compartilhou da mesma opinião: “O jogo de quadribol me deixou tonta, porém valeu a pena ver o Wood - meu crush supremo - em 3D (risos) [...] o jogo ficou MUITO mais emocionante e até tentei pegar o pomo de ouro”. Já Luiza Helena Ramos, de 20 anos, declarou: “Ver em 3D e ter um pomo de ouro vindo na minha cara foi o máximo!”.

 

Igualmente, Lana Vitoria, de 32 anos, mencionou que a parte que mais gostou de toda a experiência foi assistir à partida entre Grifinória e Sonserina: “Com certeza o quadribol. Ver o jogo em 3D e o pomo de ouro vindo na sua direção foi bem bacana”.

Outras interações ao longo da exibição de “Harry Potter e a Pedra Filosofal” foram os aplausos no início e no final das sessões. Além da euforia dos fãs durante a passagem da trilha sonora no começo do filme. 

 

Thread feita por Danielly Ferreira, mostrando a reação dos fãs durante momentos icônicos:

Relatos individuais

Luiza Helena Ramos, de 20 anos

“Eu nasci nesse ano (2001), por isso foi tão especial assistir no cinema. Foi uma experiência mágica! [...] Foi muito legal! Mas na verdade temos animais fantásticos né, então já estava satisfeita de continuar vivendo nesse mundo e com essa atualização. Além do mais, o Draco (o ator) não para de falar de Harry Potter no Instagram kkk então é como se existisse tudo isso até hoje”.

 

Gabriela Correa, de 21 anos

“Fiquei ansiosa a semana toda e super animada [...] A parte que eu mais gostei foi poder interagir com os outros fãs”.

 

Mariana Buzeti, de 22 anos

Muitos foram caracterizados, todas as sessões estavam cheias e todos gritavam e interagiam com o filme [...] A sensação é muito boa, era como se eu estivesse vendo pela primeira vez, consegui prestar atenção em vários detalhes que não tinha percebido antes [...] Foi muito bom conseguir levar minhas primas mais novas para assistir um filme de HP no cinema, algo que elas nunca fizeram”.

 

Maria Clara Mendes, de 23 anos

“Sou fã de Harry Potter a vida toda. Foi emocionante [...] No início, quando as cartas do Harry começaram a chegar pelo correio fiquei muito emocionada”.

 

Leonardo Barreto, de 17 anos

“Tinha MUITA gente caracterizada. Eu fui com mais 3 amigos [...]  Achei MUITO MASSA adorei a experiência e pretendo ir nos outros filmes [...]  Eu tava gostando tanto que nem tirei foto”.

 

Heloísa Torres, de 14 anos

“Foi incrível poder sentir e ter a oportunidade de ver o filme como se fosse a primeira vez, toda a emoção, a ansiedade, foi totalmente imersivo e maravilhoso, sem dúvida um dos melhores dias da minha vida”.

 

Izabela Dias, 22 anos

“Foi pouco divulgada, mas o fandom é muito unido e espalhou a notícia entre si, as sessões esgotaram bem rápido. Muitos foram caracterizados, eu também kkk comprei uma varinha e fui vestida de bruxinha [...] Eu fui sozinha, mas amei a experiência, foi minha primeira vez assistindo HP no cinema e vai ficar marcado como algo mágico [...] A união do fandom, ver todo mundo caracterizado e saber que você pertence nessa comunidade foi maravilhoso”.

 

Cleber Martins, de 28 anos

“Sou fã desde os meus 12 anos. Pra mim foi emoção pura, me senti criança novamente, cada cena parecia que eu nunca tinha visto, ainda mais pelos efeitos 3D”.

 

Wellyn Nascimento, de 34 anos

“Sou fã Desde o ano de 2000, quando li pela primeira vez Harry Potter e a Pedra Filosofal. Na época, meus pais não tinham condições. Comecei a acompanhar no cinema a partir do 3o filme. E os livros eu lia de amigos que tinham. Só depois que eu consegui comprar os meus livros [...] Foi algo incrível. É muito interessante que 20 anos depois, o amor pela saga só faz aumentar. Tinha muitas pessoas caracterizadas ou com blusas das casas.Eu fui com a minha filha que tem 10 anos e ama a saga. Já viu todos os filmes e agora vai começar a ler os livros”.

 

Lana Vitoria, de 32 anos 

“É incrível que depois de tanto tempo vem a mesma emoção de como estar vendo pela 1ª vez. Eu tinha a mesma idade do Harry - 11 anos - quando me encantei por esse universo. Não pude ver no lançamento de 2001, mas assim que saiu em média física (VHS/DVD) pedi para minha mãe comprar e assisti várias e várias vezes”. 

 

Fãs que colaboraram com informações e produtos audiovisuais para a matéria:

Luiza Helena Ramos 

Camila Viana 

Beatriz Glion

Graziela Araldi de Oliveira 

Tainan Pimenta 

Gabriela Correa 

Beatriz de Alcântara 

Lana Vitoria 

Mariana Buzeti 

Júlia Lemos 

Maria Clara Mendes 

Maiara Machado

Leonardo Barreto 

Ana Luisa Oliveira 

Heloísa Torres 

Izabela Dias 

Cleber Martins 

Wellyn Nascimento 

Diego Vasconcelos 

Danielly Ferreira


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »