31/01/2022 às 12h50min - Atualizada em 31/01/2022 às 12h36min

Aumento de influenza e Covid-19 em tripulantes causa cancelamento de voos no País.

Beatriz Claro - labdicasjornalismo.com
 
Com festas e comemorações de final de ano, 2022 inicia com aumento de covid-19 e influenza, os maiores afetados desta vez foram os funcionários e tripulantes de companhias aéreas do país, com um aumento de atestados médicos e afastamento de até 20 dias. As empresas tiveram alterações e cancelamentos em suas malhas aéreas, e as empresas começaram a reforçar as medidas de segurança das novas variantes e surtos da doença.

Anac (Agência Nacional de Aviação Civil), reestabelece novas regras de voos por tempo indeterminado, as empresas aéreas que antes eram obrigadas a viajar com quatro comissários de bordo agora podem trabalhar com um comissário a menos.

Algumas empresas tiveram que reduzir o número de passageiros devido a falta de comissários de voo, modelos Airbus A320, foi para 150 passageiros sendo que a sua capacidade é de 174, os Embraer E-195, foi de 118 para 100 passageiros.

A funcionária Andreia Gomes, de 34 anos, ficou afastada durante 15 dias porque testou positivo para Covid-19 e agora que já retornou ao serviço, relata que todos os seus funcionários estão devidamente vacinados e tomando todas as medidas de segurança.  Os setores responsáveis estão de olho em todos os colaboradores e assim que surge algum sintoma de gripe eles são afastados para uma melhor recuperação e segurança de todos os envolvidos e para que os seus passageiros tenham uma ótima viagem em segurança, sem riscos.

Elza Dias, de 36 anos, funcionária do Aeroporto de Gru, conta que as empresas estão fazendo de tudo para poder remarcar os voos cancelados e voltar com as suas rotinas diárias. As empresas estão trabalhando para atender o maior número de passageiros possível, priorizando os primeiros voos cancelados, em seguida os passageiros prioritários como idosos e cadeirantes. 

Yurika Ogasawara, de 28 anos, passageira que teve o seu voo cancelado pela empresa de viagem, devido o novo surto gripal, conta que recebeu um e-mail sendo informada que sua passagem tinha sido cancelada e que o reembolso aconteceria dentro de 5 dias úteis para efetuar uma nova compra por qualquer canal de sua preferência. A mesma entrou em contato com todas as empresas que faziam esse trecho escolhido, como a viagem dela era para o mês de fevereiro, foi informada que a sua viagem poderia ser cancelada de novo em qualquer momento, mas que caso acontecesse a mesma iria ser remarcada com data mais próxima possível.

Ana Silva, de 65 anos, aposentada, conta que se programou para ir visitar a Família no Nordeste, no começo do mês de Janeiro, e teve uma surpresa 3 dias antes de partir com a realocação do seu voo para o próximo mês devido os cancelamentos, a mesma entrou em contato conseguindo um acordo com a companhia aérea dentro das suas solicitações.


  • Reacomodação em outro voo da empresa ou outra companhia.
  • Reembolso integral.
  • Transporte usando outro meio como ônibus.
Caso os passageiros não tenham sido informados dentro de 48 horas da decolagem, sobre o   cancelamento do seu voo, e tenham ido para o aeroporto, as companhias aéreas são obrigadas a prestar apoio, conforme a resolução 400 da Anac  
  • Alimentação.
  • Transporte para voltar para casa.
  • Hospedagem caso o passageiro não seja da cidade.
  • Além de informações detalhadas de seu próximo voo. 
As orientações passadas pelas companhias aéreas são que antes de sair de casa os passageiros tem que verificar no site da empresa o status do voo, caso o mesmo tenha sido cancelado o cliente tem que entrar em contato através do site, para possíveis remarcações ou reembolso de 100% sem multas ou taxas.
As companhias estão remarcando as passagens das pessoas que foram diagnosticadas com Covid-19 uma vez sem multa, cobrando somente a diferença tarifária, quando houver, podendo viajar após 14 dias do diagnóstico. 


 
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »