11/02/2022 às 16h07min - Atualizada em 11/02/2022 às 15h56min

Gasto de brasileiros com criptoativos no exterior atinge a marca de U$6 bilhões

João Barbosa - Editado por: Annally Lima
Desde agosto de 2019, o Banco Central passou a incluir a negociação das criptomoedas por brasileiros nos dados sobre a balança comercial do país atendendo a recomendações do Fundo Monetário Internacional (FMI).

De acordo com dados do BC os brasileiros aumentaram os volumes de criptoativos negociados fora do país. Em 2020, US$ 3,3 bilhões em criptoativos foram comprados no exterior, já em 2021, o número saltou para US$ 6 bilhões. Segundo Safiri Felix, diretor de Produtos e Parcerias da Transfero, o crescimento é uma tendência.

"O mercado de criptoativos é descentralizado e a liquidez dispersa nas principais plataformas globais. Com o aumento da demanda por criptoativos no Brasil, a tendência é que aumente cada vez mais a importação de ativos digitais."
 
A antiga preferida dos investidores em moedas digitais, o bitcoin (BTC), parece ter novos concorrentes mais baratos e com melhores retornos.


Observando o que tem sido noticiado e a visão dos especialistas desse mercado, este é um bom momento para investir em criptomoedas, principalmente se tiver uma visão de longo prazo, mas é preciso considerar que não existem garantias e isenção de riscos em nenhuma categoria de investimento.
 
Segundo o investidor em criptoativos, William Melo, um dos principais motivos dos brasileiros estarem investindo cada vez mais em moedas digitais é a facilidade em se comprar uma. Até mesmo com pouco dinheiro já dá para começar a investir, além da ‘explosão’ das rentabilidades, em curto ou a longo prazo.
"É interessante que o investidor estude sobre as moedas onde vai investir – ciente dos riscos – e que aplique um valor que não irá fazer falta no dia a dia, já que assim como pode ter uma alta rentabilidade, pode também sofrer com uma queda brusca da valorização das moedas."
Em relação à segurança dos dados de investidores e seus valores, William explica:

“Tudo é super seguro, mas ao ter uma carteira é possível que qualquer pessoa possa visualizar a suas transações, de forma bem transparente. Mas é o único dado que terceiros podem ter acesso referente à sua conta. O ideal é que a pessoa estude sobre cada dado, sobres os sites e corretoras. Não clique em qualquer link, pesquise sobre carteiras e suas criptografias de segurança. Afinal é um mercado novo e está em expansão, é apenas o começo e muitos querem agir de má-fé.”

 No portal SeuDinheiro você pode conferir quais as moedas com maior previsão de rentabilidade no ano de 2022. 
 


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »