29/06/2019 às 12h32min - Atualizada em 29/06/2019 às 12h32min

Homossexualidade existe no mundo animal

Ao contrário do que se pensa, a homossexualidade entre animais pode ser encontrada livremente na natureza

Isabelle Miranda - Editado por Thalia Oliveira

A homossexualidade não é muito falada quando se trata de animais, mas o fato, que esse comportamento é mais comum do que se imagina. Para se comprovar isso, uma pesquisa realizada por Bruce Bagemihl, em 1999, analisou o comportamento homossexual em aproximadamente 1.500 espécies de animais, indo desde mamíferos até vermes intestinais. Sendo que em 500 delas, esse comportamento foi bem documentado. Bagemihl disse que “o reino animal faz isso com muito maior diversidade sexual –inclusive homossexual, bissexual e sexo não-reprodutivo- do que a comunidade científica e a sociedade em geral estão previamente dispostas a aceitar”.

Um exemplo de animal que apresenta comportamentos homoafetivos, são os besouros-castanhos, espécie de inseto, onde os machos cruzam entre si. Evolutivamente, a referida característica rendeu a essa espécie, uma maior efetividade de sucesso reprodutivo. O que acontece nesse caso é que se um besouro depositar seus espermatozoides em outro macho, e esse outro macho se envolver sexualmente com uma fêmea, o primeiro besouro tem maiores chances de fecundar essa fêmea, mesmo não tendo tomado ela como sua parceira.

A aplicação do termo homossexual em estudos animais tem gerado controvérsias, uma vez que ainda não se elucidou por completo a sexualidade animal e os seus fatores motivadores. Contudo, o termo homossexual ainda é o mais aceito para o reino animal, sendo os termos lésbicas, gays e outros, são pouco aceitos, pois estão associados à sexualidade humana.

Veja quatro exemplos de animais que apresentam casos de homoafetividade

Girafas: Nove em cada dez casais de girafas são homossexuais. Pesquisadores afirmam que as girafas do sexo masculino que ainda são jovens relacionam entre si, antes de ter algum contato sexual com as fêmeas. Para os especialistas, esses comportamentos -que envolvem beijos, massagens, abraços e o acasalamento- é uma espécie de treinamento para que os jovens cheguem prontos em suas futuras parceiras.

Galo-da-Serra-do-Pará: É uma espécie que pode ser encontrada no Brasil principalmente na região norte (Pará, Roraima, Amazonas). Em uma média de 50% das aves do sexo masculino se envolvem em relações homossexuais. Especialistas acreditam que esse comportamento aconteça, por conta da alta densidade populacional de machos, que torna a disputa pelas fêmeas uma tarefa difícil.

Chimpanzé-pigmeu: Praticamente toda a população é bissexual. Eles usam o sexo para evitar conflitos, demonstrar dominação e até mesmo para simplesmente criar laços afetivos.

Macaco-japonês: Durante o momento de cópula são obrigados a disputar as fêmeas não só com machos, mas também outras fêmeas. Apesar do padrão comportamental, pesquisadores também registraram que na maioria dos casos, os animais podem se enquadrar na classificação de bissexuais, não havendo distinção de gênero na hora do acasalamento.

 

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »