13/08/2022 às 11h46min - Atualizada em 13/08/2022 às 11h42min

Segunda temporada de ‘Bom dia, Verônica’ é ainda mais eletrizante e fiel a realidade

A sequência de uma das melhores séries nacionais dos últimos tempos finalmente chegou a Netflix e, assim como a riviera temporada, traz sequences surpreendentes e de fazer o coração acelerar

Viviane Ramos - Editado por Ivan Fercós
Fonte: Netflix / Reprodução: Cosmonerd
‘Bom dia, Verônica’ se tornou uma das melhores séries dos últimos tempos aqui no Brasil, e grande parte desse sucesso está em como a produção retrata fielmente a realidade de milhares mulheres, que sofreram e sofrem com a violência doméstica, por mais que nem elas saibam disso. 

A série que ganhou sua primeira temporada ainda em 2020 é a adaptação do livro de Raphael Montes e Ilana Casoy, que carrega o mesmo nome. Conhecemos a história de Verônica, uma simples escrivã que vê sua vida mudar por completo após uma série de assassinatos de mulheres e meninas na cidade. 

Na segunda temporada, somos apresentados ao novo vilão e inimigo direto da protagonista, o missionário Matis Carneiro, que é interpretado por ninguém mais e ninguém menos que Reynaldo Gianecchini. E, é a partir daqui que começamos a falar mais sobre essa segunda temporada. 

Precisamos começar aplaudindo a atuação de Reynaldo, que soube incorporar muito bem a figura de um homem que prega o bem e a cura. Mas, no fundo, é um monstro que abusa de mulheres e até da própria filha. O ator, que durante muito tempo era visto como o grande galã das novelas, teve seu estopim ao interpretar o missionário abusador, tendo uma troca incrível em seus diálogos com sua filha, esposa e a própria Verônica na série. 


 
E, é claro que não podemos deixar de lado a impecável atuação de Klara Castanho, que dá vida a adolescente Angela, filha do personagem de Reynaldo. Na história, ela é uma jovem que se descobre homossexual e, ao mesmo tempo, descobre o monstro que é seu pai e que também é uma de suas vítimas. Não há como ver as cenas e não lembrar do relato da atriz meses atrás, expondo seu estupro e gravidez indesejada, essa personagem foi um dos auges da carreira de Klara e um recado muito bem-passado para todas as meninas que acham normal uma relação de pai e filha como acontece na série. 


 
Tainá Muller continua brilhante no papel de Verônica, ainda mais destemida e corajosa nessa nova temporada, disposta a tudo para fazer justiça e se ver livre dos opressores. Entretanto, muitas pontas ainda ficaram soltas na série, como a relação de Matias com Janete e a mãe de sua esposa, Gisele. Somos apresentados ao que aconteceu entre eles, mas não há um aprofundamento nas relações, algo que senti falta, visto que se trata de uma série onde tudo é muito bem construído. 

No geral, a série se sustenta em uma história eletrizante e intensa, que trabalha não apenas com cenas surpreendentes, mas com diálogos profundos e uma tensão no ar que faz com que qualquer um se sinta com medo e apreensivo em alguns momentos. Não é a toa, que desde a sua estreia em 3 de agosto, a produção brasileira ocupa o TOP 10 de 10 países, uma verdadeira vitória para a produção nacional de streaming. 

E você, já assistiu? O que achou? Deixe sua opinião aqui nos comentários, vamos amar saber! 

REFERÊNCIAS:
COLETTI, Caio. “Bom Dia, Verônica segue envolvente, apesar de problemas na dramaturgia”. Omelete, 2022. Disponível em: 
<https://www.omelete.com.br/series-tv/criticas/bom-diaveronica-2a-temporada>. Acesso em: 9 de agosto de 2022. 

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »