24/10/2019 às 14h42min - Atualizada em 24/10/2019 às 14h42min

Câmara dos deputados apresenta canal para a checagem de informações no WhatsApp

Thiago Oliveira - Editado por Manoel Paulo
Canaltech e Câmara dos Deputados
Reprodução/Varela Notícias
A Câmara dos Deputados lançou na ultima terça-feira, 22, uma nova ferramenta para o combate de noticias falsas. O Comprove, como é chamado, trata-se de um canal para a checagem de informações no WhatsApp. O serviço será destinado a checar apenas conteúdos de cunho jornalístico, seja por meio de links, texto, áudio ou capturas de tela. Os conteúdos para checagem devem ser enviados para o número (61) 99660-2003.

Após consultados, o usuário receberá a conclusão da informação, que será caracterizada em três tipos: real, falso ou impreciso. O usuário será capaz de consultar se as informações relacionadas a atividades e estrutura da Casa e de deputados em função do cargo são verdadeiras ou não.



Conteúdo de declarações de parlamentares, posicionamentos ou informações referentes a seus estados de origem ou anteriores a seu mandato não serão checadas.

A Câmara disponibilizará ainda paginas nas redes sociais sobre informações de veracidade e dicas de como o cidadão pode escapar das notícias falsas.

O atendimento do Comprove funcionará de segunda a sexta das 08h as 20h, com exceção de feriados. Para a realização da checagem, o usuário terá de fornecer alguns dados básicos como nome, endereço e e-mail.
 
Muito trabalho pela frente

Tramita na Câmara e no Senado, CPIs que investigam o disparo ilegal de mensagens durante as eleições do ano passado. O Supremo Tribunal Federal (STF) também instaurou um inquérito para investigar o envio de informações falsas e ataques aos ministros da Corte.

Desde setembro a CPMI das Fake News ouve políticos e pessoas ligadas a eles para esclarecer assuntos relacionados aos envios de mensagens contendo fake-news. Na ultima semana, o WhatsApp reconheceu publicamente que empresas de marketing foram contratadas para disparar conteúdos em massa para prejudicar candidatos à presidência.
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »