25/11/2019 às 20h08min - Atualizada em 25/11/2019 às 20h08min

A importância dos manuais de comunicação

Brunna Feitosa
Manual de Comunicação LGBTI+ ; https://www.deficienteciente.com.br/um-pouco-da-historia-da-tetraplegica.html

  Questões relativas às minorias têm ganhado espaço na mídia. Diversos grupos reivindicam visibilidade de suas pautas e, muitas vezes, conseguem agendar as empresas de comunicação. No entanto, o vocabulário e o enquadramento das pautas feito pela imprensa nem sempre são apropriados. Uma das razões é a falta de familiaridade com os temas, e mesmo os termos, por parte dos jornalistas. Para resolver o problema, organizações não-governamentais elaboraram manuais para as coberturas jornalísticas. Eles trazem um resumo das questões mais importantes que surgem durante o processo de apuração e redação. 

           O site ‘‘ Olga’’ é a página de uma ONG (organização não- governamental) feminista que criou, inicialmente, um minimanual do jornalismo humanizado  com assuntos para as mulheres, como violência contra a mulher, estereótipos nocivos, aborto e jornalismo esportivo. Vendo a falta de materiais para o público minoritário em geral, fizeram alguns voltados para eles. O manual sobre pessoas com deficiência, por exemplo, traz exemplos práticos e direitos para jornalistas e veículos de comunicação que desejam limpar o conteúdo editorial que produzem de preconceitos e visões limitada da sociedade.

                 O Manual de Diversidade no Jornalismo apoia redações e escolas de jornalismo no debate sobre a importância de um olhar diverso, com riqueza e pluralidade de perspectivas. O objetivo é ajudar a imprensa a refletir a diversidade de condições sociais e econômicas, ou seja, diferentes pontos de vista que compõem o país e fazer um jornalismo que respeita e se constrói a partir dessa complexidade.

                  O Manual de comunicação LGBT é uma ferramenta construída por e para pessoas diretamente tocadas pelo uso de termos e conceitos capazes de contribuir para a transformação social e para a consolidação de uma sociedade onde haja zero discriminação e onde todas as pessoas sejam respeitadas e tratadas com dignidade. Abordam assuntos, como sexualidade, gênero e sexo biológico, orientação sexual, identidade e expressão de gênero, discriminação, preconceito e estereótipo.
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »