26/12/2019 às 13h00min - Atualizada em 26/12/2019 às 13h00min

Quando as mulheres entram no jogo: Prêmio esports Brasil

O Prêmio esports Brasil aconteceu na última quinta-feira (19). Além do Free Fire, Corinthians e Nobru, Camilota XP e Ana Xisdê tomaram os holofotes e mostraram que é jogo também é coisa de mulher

Carolina Rodrigues - Editado por Bárbara Miranda
CRÉDITOS: Carolina Rodrigues
Quando o Prêmio esports Brasil aconteceu em 2018, nenhuma mulher havia ganhado um prêmio – e poucas meninas competiram nas categorias da premiação de fato. Ressalva seja feita às apresentadoras Nyvi Estephan e Fernanda Gentil.

Diferente do ano anterior, em 2019, talvez por uma insatisfação popular mesclada com o grande envolvimento feminino no cenário, mais mulheres apareceram na premiação de e-sports. E duas ganharam nas categorias em que competiam.

Camilota XP ganhou na categoria personalidade do ano e Ana Xisdê levou o troféu de melhor caster. Ambas competiam com outros homens.

Contudo, nas categorias de melhores atletas, apenas o e-sport Overwatch trouxe uma mulher para competir, Gabriela “Win98” Vieira, escolhida pelos internautas. Onde estão as mulheres pro players, que se dedicam para crescer na carreira? Campeonatos femininos ainda são menores, mas estão em pleno desenvolvimento conforme mulheres também crescem profissionalmente na carreira como jogadoras.

Por mais que mulheres ainda enfrentem preconceito dentro do universo dos games e e-sports, cada vez mais elas se unem e se movimentam em prol de um cenário igualitário. Mas, essa não é uma luta unicamente feminina.

Por exemplo, das 11 categorias formadas pelo chamado super júri, sete foram mistas, ou seja, com mulheres e homens elegendo, juntos, os melhores da noite. E é preciso ressaltar que Ana Xisdê e Camilota XP foram elegidas por voto popular.

Quando todos se unem por um objetivo em comum, mais fácil a luta se torna. Como a pro player isaB afirma, os próximos anos serão os melhores para as jogadoras. Cada vez mais elas ascendem e firmam o seu lugar, tornando-se grandes personalidades e refletindo seus papeis ao redor do mundo. Vira um ciclo em que mulheres inspiram mulheres a serem o que sempre sonharam, independentemente das imposições sociais deixadas conforme o desenvolvimento das sociedades.

Este foi o ano das garotas no cenário de e-sports. Ainda há muito o que melhorar. Por isso, 2020 será melhor, mais inclusivo, respeitoso e igualitário.
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »