12/04/2019 às 08h51min - Atualizada em 12/04/2019 às 08h51min

Revelada primeira foto do buraco negro e por que ela é tão importante para a ciência

O arquivo tem 5 petabytes, equivalente a 5 milhões de gigabytes, e ainda precisou ser carregado fisicamente por conta de sua grandiosidade

Vanderson dos Santos
O “anel de fogo” que contorna o buraco negro é resultado da concentração de gases superaquecidos que estão sendo sugados pelo buraco negro, explica Heino Falcke, professor da Universidade Radboud, na Holanda / Foto: EHT COLLABORATION

Nesta semana os cientistas vibraram de felicidades pela descoberta visível de um buraco negro. Isso foi possível, a partir de uma fotografia feita através de oito telescópios (Antártida, Chile, Estados Unidos, Espanha e México), alinhados simultaneamente ao redor do mundo. Para que fosse possível realizar esse feito histórico, foram necessários 26 anos de estudos, 40 milhões de euros e uma equipe de 200 estudiosos de várias partes do mundo.

A massa tem 40 bilhões de quilômetros de diâmetro, e fica localizado a 55 milhões de anos-luz da terra. Para se ter noção de sua grandiosidade, ele é 6,5 bilhões de vezes maior que o sol.

“Nós conseguimos ver o que achávamos que era invisível”, descreve Sheperd Doeleman, diretor do projeto internacional liderado pela Fundação Nacional de Ciência dos Estados Unidos.

O que é um buraco negro?

É uma massa quase infinita que surge - de forma mais comum, quando uma estrela morre. Por conta de sua grande quantidade de massa, ele se torna um campo gravitacional tão forte que até as partículas de luz não conseguem fugir dele.

Como foi possível descobrir o buraco negro?

A partir da teoria da relatividade geral, formulada por volta de 1915 pelo físico alemão, Albert Einstein. Com ela, a ciência previu que buracos negros tinham que existir. O estudo de Einstein afirma que, a gravidade é uma força gerada por energia que atrai energia.

Por que foi tão difícil encontrá-lo?

Porque grande parte deles são cobertos por gases, estrelas e sombras, o que se torna um bloqueio a visão clara do objeto. Além disso, eles ficam milhares de anos-luz da terra. Para conseguir enxergá-los, é necessário muito estudo e estratégias para encontrar um caminho livre de empecilhos por um curto período de tempo.

Por que a imagem dele é tão importante?

Em primeiro lugar, ela prova que Albert Einstein estava correto. Segundo, que ela é absolutamente importante para estudar a origem do universo. Além de ser, como descrito acima, a 1ª vez que o homem pode ver um buraco negro.

Em entrevista ao G1, o cientista Dimitrios Psaltis, professor de astronomia na Universidade do Arizona, afirma que essa foi a primeira vez que se testaram as previsões da teoria de Einstein com buracos negros supermassivos no centro de uma galáxia.

Uma cientista ajuda na descoberta

A doutora Katie Bouman, de 29 anos, é a engenheira e cientista da computação por trás da primeira imagem de um buraco negro. Ela trabalhou na criação do algoritmo que permitiu aos demais estudiosos capturarem a imagem do buraco negro pela 1ª vez na história.


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »