24/06/2020 às 16h46min - Atualizada em 24/06/2020 às 16h40min

Machado de Assis branco: a (falta de) representatividade do negro na literatura

“Nós perdoamos, mas não esquecemos” (Nelson Mandela).

Letícia Franck - Editado por Bruna Araújo
Se eu te perguntasse agora se você sabia que Machado de Assis, um dos mais célebres escritores brasileiros é negro, você ficaria espantado? Bom, pelo sim ou pelo não, a massa de estudantes foi erroneamente programada para entender o escritor como sendo de raça branca, quando na verdade ele tinha todos os traços afros: o cabelo mais grosso, o nariz mais largo, a pele escura. Se você pegar a fotografia de um livro dele neste momento, com muita sorte o verá retratado da maneira que citei acima. Bizarro, né? Na verdade, até hoje, o negro vem sendo representado de forma muito simplista na literatura. Quando existem, de fato, personagens negros nos livros -fora os que tenham um contexto histórico- e ainda assim, marcados por tráfico de escravos e lugares sem privilégio algum.

Quantos livros você já leu que tinham negros como protagonistas e quantos deles não eram histórias tristes? Se você conseguir lembrar-se de ao menos um, então estamos andando - ainda que a passos de formiga -, como diria Lulu Santos.

Mas e se a pergunta for outra: se eu te perguntar quantos livros escritos por autores negros você já teve a oportunidade de apreciar, você saberia me responder? Não nos basta levantar uma bandeira, é necessário conhecer a história dela. O que você está fazendo para mudar isso?

Com o mês da Consciência Negra, ocorrido em maio e com diversas atrocidades acontecendo com as pessoas pretas, o assunto está mais em alta, mas ainda nos falta muito para chegarmos a um patamar mediano. A consciência maior se constrói no dia a dia: através do diálogo, do conhecimento, da empatia e principalmente do respeito. Abaixo, alguns livros escritos por autoras negras e/ou que tratam de assuntos pertinentes ao tema do racismo e todas as suas manifestações. Já é uma porta de entrada para um mundo tão vasto e ainda tão pouco explorado.

Boa viagem!
 
- Ensinando a transgredir: a educação como prática da liberdade. - bell hooks
- Eu sei por que o pássaro canta na gaiola. - Maya Angelou
- Amada. - Toni Morrison
- Um defeito de cor. - Ana Maria Gonçalves
- O ódio que você semeia. - Angie Thomas
- Mulheres, raça e classe. - Angela Davis
- Pequeno manual antirracista. - Djamila Ribeiro
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »