18/09/2020 às 22h28min - Atualizada em 18/09/2020 às 22h28min

Além da música, estilo do funk está presente no mundo da moda

Em entrevista, cantores de funk falam sobre como o estilo funkeiro influencia o mundo fashion

Larissa Varjão - Editado por Larissa Barros
Reprodução / Instagram
Óculos espelhados, correntes  e roupas de time estão entre as roupas presentes nos vestuários dos cantores de funk no Brasil, principalmente dos Mc’s. Assim como os outros estilos musicais, os artistas do funk brasileiro se vestem a partir da influência que sofrem desse gênero musical. 

Em entrevista à nossa reportagem, a cantora paulista Mc Dricka, 21 anos, afirmou ver essa influência em suas roupas do dia a dia, e a descreveu como uma superação.

 
“Vejo sim. Usamos roupas onde queremos passar a visão que favelado também pode, muitas pessoas da periferia não tem condições às vezes de porta um kit que gosta, é superação. Juju no rosto deixa mais chave [estiloso], esconde os olhos vermelhos ou sua timidez , e os cordões, pelos menos pra mim, é para mostrar que todos podem ter um”, explicou.

A MC ainda conta que escolhe suas roupas pensando nos lugares onde realizará shows. De acordo com ela, há críticas por causa do seu estilo, composto por camisetas polo, tops, e calças jeans. “Reclamam quando a mulher fica quase nua, e também reclamam quando nós não ficamos”, relatou. 

Para o dj baiano FP do Trem Bala, 23 anos, as referências usadas para se vestir são criadas a partir do esporte. “Eu já tenho um estilo próprio, gosto de andar com roupas e acessórios que façam referência aos esportes… Por exemplo, roupas de basquete. Tenho várias camisas, me amarro”, disse.

Agora também, to fazendo as waves no cabelo, sabe como é, pai? Aquelas ondinhas no cabelo pra ficar no pique o dia todo! Ai com o cabelinho cortado na trena, wave feitinha e uma faixinha estilo Orochi, o pai fica como? Fortão nos estilos! Kkk”

De acordo com FP, ele quer passar uma mensagem, e quer que as pessoas curtam o seu estilo. “Uso muitos acessórios tipo óculos, cordãozão e uns anéis bolados, que são irados demais pra usar no palco e nos clipes. Uso porque dá aquela valorizada, né? Funk é batidão, rap é mensagem, é reflexão. Quero que as pessoas olhem pra mim e pensem  ‘caraca, o funk é trajadão assim, é um bagulho chic demais!’ Curti esse estilo”, relatou. 

FP também afirma que as pessoas gostam do estilo do funk, e da sua influência na moda, mas não admitem. “Acho que o pessoal ainda tem que admitir que gosta da nossa moda, sabe? Todo mundo gosta de andar estiloso, com ices e bem à vontade. A moda do funk todo mundo gosta, mas tem vergonha de assumir! ”.

O ator e cantor carioca, Mc Cabelinho, 24 anos, afirma ver as inspirações do ritmo do funk em seu dia a dia, e para ele esse gênero musical faz parte tanto da moda quanto da cultura.

 
“Funk é moda, é cultura também. O funk é despojado e nós, artistas do ritmo, nos identificamos com essa qualidade, gostamos de roupa boa, fina, mas tamo sempre muito à vontade, tá ligado?”, disse.

Cabelinho explicou que o estilo do funk ressalta a ideia de superação, principalmente ao falar sobre a imagem do funk, e sobre a ideia do favelado que venceu na vida e agora pode andar com um tênis maneiro.
 
“Como artistas, queremos sempre chamar a atenção, tá ligado? Mesmo que seja pra um acessório, um símbolo, um cheiro, porque o perfume conta também nessas horas, né? Então, tudo faz parte dessa imagem do funk, do favelado que venceu e agora pode andar com um tênis maneiro, uma jóia no pescoço... A gente continua com a mesma humildade, mas a roupa dá uma autoestima, nós ficamos bonitão, né não?”, destacou.

De acordo com o cantor, a moda do funk é muito diferente em cada lugar no qual ele está presente.”Por exemplo, lá em São Paulo, os caras tem um estilo diferente do nosso aqui no Rio; lá inclusive, estourou o funk ostentação, né? Coisa que aqui no Rio a gente faz também, mas eu acho que de outras formas. Tipo, nessa entrevista mesmo, já é uma parada de tá reforçando nosso estilo sem fazer música sobre isso, tá ligado?”, afirmou.

Por fim, o estilo musical pode ir muito além das letras das músicas, podendo falar e ser uma representação da cultura e representatividade. Para Cabelinho, o funk é diverso e produz muita moda também.
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »