31/10/2020 às 14h33min - Atualizada em 31/10/2020 às 14h21min

Eleições 2020: Conheça Dayse Penna, candidata à prefeitura de Volta Redonda

Concorrente pelo Partido Republicano da Ordem Social (PROS) falou sobre temas de interesse público e suas propostas caso eleita

Lucas Mathias - Editado por Ana Paula Cardoso
Foto: G1
O #EntrevistaComOCandidato dessa semana recebe Dayse Penna, mais uma candidata à prefeitura de Volta Redonda. Ela é formada em administração de empresas, já foi vice-presidente da Creche Irmã Zilá, presidiu a associação dos moradores do bairro Conforto e entre outros projetos sociais. Seu vice é Ademar Esposti, que além de empreendedor, foi diretor da Câmara dos Dirigentes Lojistas (CDL) e do Sicomércio por mais de 15 anos. Esposti também realizou trabalhos sociais, e presidiu, por 12 anos, a Creche Lar Maria Izabel Galvão, localizada no bairro Retiro.
 
Questionada sobre o porquê da candidatura, Dayse alega que não se sente representada pelos políticos que governaram a cidade, e por isso decidiu se colocar à disposição da população. 
"Eles (os governantes) não dão sentido aos princípios básicos da administração pública”, explica.
 
Além disso, a candidata disse que a pouca participação feminina na política local colaborou para a tomada da decisão.
 “A minha responsabilidade hoje está além da cadeira de prefeito, está no desejo de impulsionar mulheres na participação política", finaliza.
 
Em 2016, Dayse Penna viria como candidata à vice-prefeita de Samuca Silva, atual prefeito de Volta Redonda. Hoje, Penna afirma que não concorda com a gestão feita por Samuca e que o prefeito não honrou o que foi prometido em campanha.
 
“O atual prefeito não conseguiu honrar os votos que teve, fazendo uma administração diferente daquilo que ele falou na campanha. Ele não promoveu a gestão de pessoas e de recursos. Não conseguiu dar resultados satisfatórios, por isso a cidade está sofrendo. Sofrendo com a falta de saúde, de educação e de cuidado com os profissionais”, declara.
 
A candidata foi indagada sobre temas relacionados à saúde, educação e lazer, meio ambiente, geração de empregos, mobilidade urbana e segurança pública. Até a data da publicação desta matéria a candidata ainda não havia respondido aos questionamentos dos respectivos três últimos temas. Caso haja resposta, a matéria será atualizada.
 
Saúde
 
As Organizações Sociais da Saúde (OSs) foram criticadas por Penna, que garantiu que este serviço de administração não será imposto em seu governo, caso eleita. “As OSs estão fora de cogitação”. Segundo ela, as OSs não trouxeram benefícios para a população volta-redondense e o seu custo foi maior do que o anterior, quando a própria prefeitura gerenciava os hospitais São João Batista e Retiro. 
“Foi um verdadeiro equívoco”, diz ela.
 
A candidata também falou sobre a necessidade do fortalecimento dos postos de saúde da cidade. De acordo com ela, deve-se ter investimento nessas unidades, fazendo com que a população evite superlotar os grandes hospitais.
 
“Colocaremos médicos e uma equipe preparada para fazer o atendimento de acordo com o diagnóstico de cada bairro”, declara.
 
Ademais, garantiu que a saúde humanizada para mulheres grávidas também terá atenção em seu governo.
 
“Ofereceremos à mulher grávida um atendimento desde o pré-natal, até os dois primeiros anos da criança. Assim, garantiremos a redução da mortalidade infantil e da gestante”, explica Dayse. 
 
Apontou também soluções para o agendamento de consultas. De acordo com a candidata, haverá a implantação do “Consulta Fácil”, um projeto que visa melhorar e agilizar a marcação para atendimentos médicos. Além disso, ela aponta a necessidade de fazer com que o Sistema de Regulação (SISREG) funcione. 
“É necessário que haja a organização das informações de cada paciente através do SISREG, para que assim ele possa ser identificado em qualquer lugar da cidade, caso necessite de intervenções médicas”, esclarece.  
 
A manutenção do pagamento dos servidores públicos também foi falada pela candidata do PROS. Para ela, o servidor trabalhará de forma mais “tranquila” e eficiente se tiver seu salário em dia.
 
“A manutenção do salário garante uma tranquilidade e a certeza de que o empregador cumprirá com seu papel”, sinaliza.  
 
Educação e Lazer
 

Na educação, afirmou que haverá o cumprimento das metas do Plano Nacional de Educação (PNE). Dentre eles, a candidata ressaltou que irá implementar a educação integral em conjunto com as outras Secretarias da cidade, como Esporte e Lazer, Cultura e Assistência Social.
 
“Iremos ocupar o tempo ocioso das crianças com a educação integral. Haverá atividades extracurriculares, como dança, curso de idiomas, jogos de xadrez e atividades de artesanato”, diz Penna.
 
Além disso, também citou o projeto “Educação Emocional”, que tem como alvo crianças de cinco a sete anos. Segundo ela, o programa tem como objetivo auxiliar no enfrentamento da violência e no fortalecimento da autoestima da criança, assim como seu reconhecimento no mundo. 
“Iremos promover o desenvolvimento do caráter e a aceitação da diversidade”, garante ela.
 
Sobre as metas do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB), a candidata disse que não irá focar na média, mas sim no melhor possível.  
 
“Iremos melhorar a estrutura das escolas. Replicaremos a metodologia da instituição que atingiu a meta naquelas que não chegaram ao objetivo. Vamos valorizar e estimular o professor para termos o melhor resultado”, justifica.  
 
Penna mencionou outro projeto de seu plano de governo voltado para a educação. Trata-se do “Protetores do Amanhã”, que pretende capacitar profissionais da educação para conseguir identificar os primeiros sinais de que crianças e adolescentes estão usando drogas ou se envolvendo com algum tipo de ilícito.
 
“Criaremos uma rede de proteção para fazer o acolhimento e orientar a criança e sua família, minimizando os efeitos da criminalidade”, explica.
 
Meio Ambiente
 
Em se tratando de meio ambiente, a candidata criticou o atual contrato com as cooperativas de lixo. Segundo ela, não houve apoio da prefeitura, e que por isso o trabalho executado não é de excelência. 
“Faltou apoio da prefeitura no contrato com a cooperativa. Iremos rever o acordo e verificar como o município pode potencializar as cooperativas. Também estabeleceremos metas anuais visando a reciclagem”, relata.
 
Dayse também alegou que o processo de educação ambiental foi interrompido, o que gerou falta de hábito da separação de lixo por parte da população.
 
“Houve descontinuidade no processo de educação da separação do lixo. A educação ambiental precisa ser retomada para que o município melhore esse hábito”, afirma.
 
De acordo com a candidata, a educação ambiental também propõe que haja investimentos das universidades em tecnologia e inovação para transformar insumos, rejeitos e lixos em matéria prima para outros negócios. 
“Volta Redonda passará de uma cidade poluidora para uma cidade em busca de ser reconhecida como cidade verde”, ratifica.
 
Visando preservar o meio ambiente, Penna disse que almeja mudar o hábito das pessoas. O uso das bicicletas e a prática de caminhadas é algo que, segundo ela, precisa voltar a acontecer.
 
“Mudar o hábito das pessoas é um processo que precisa começar a acontecer. A mobilidade urbana vai dar conta disso quando o prefeito começar a dar sinais de que se importa que o pedestre tenha mais segurança em seu percurso e que o ciclista tenha condições de ir e vir”, explica.
 
A candidata ressaltou a importância do conselho de meio ambiente e de mobilidade urbana de Volta Redonda. Para ela, estes conselhos precisam estar juntos para que possam apontar as possibilidades da realização de trabalhos efetivos na cidade.
 
 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »