27/11/2020 às 17h04min - Atualizada em 27/11/2020 às 16h56min

Chile reabre fronteiras após oito meses fechadas devido ao coronavírus

Seguindo exemplo da Argentina, país reabriu no último dia 23

Melissa Costa - Alexandra Machado
Foto: BLOG MALA DE VIAGEM
No último dia 23 de novembro, o Chile reabriu suas fronteiras como tentativa de reativar o turismo. A reabertura ocorreu dez dias após o anúncio. Seguindo o exemplo da vizinha Argentina, o país fará um retorno experimental somente com o aeroporto Arturo Merino Benítez em Santiago. As viagens dentro do território serão restritas a cidades a partir da fase 3 do programa de reabertura do país e às pessoas com passaporte sanitário.  O ingresso por meios terrestres ou marítimos continua proibido. Por meio de nota, o governo chileno afirma que a medida será tomada “até que as condições sanitárias permitam a sua reabertura”.

Para entrar no país é necessário seguir uma série de protocolos, entre eles, preencher formulários indicando condições de saúde, apresentar teste PCR negativo para o coronavírus (feito, no máximo, até 72 horas antes da viagem) e possuir seguro de viagem que cubra tratamento para casos graves de Covid-19.

O turismo está liberado para visitantes de todos os países, incluindo o Brasil. Ocorrerá em duas etapas: até o próximo dia 7 de dezembro, todos os estrangeiros que adentrarem o Chile precisarão cumprir isolamento social de 14 dias. Após a data já citada, não será mais necessário. O isolamento obrigatório pode ser realizado em local de escolha do turista (hotel, hostel, pousada ou casa), desde que localizado na capital. O endereço deve ser informado na Declaração do Viajante.

Além de Santiago, cidades como Viña del Mar, Valparaiso, Pucón e San Pedro de Atacama, já estão liberadas para turismo. Todas as cidades e suas atuais situações podem ser encontradas no site do governo chileno. 

Segundo o ministro da Economia, Lucas Palacios, é esperado que cerca de 300 mil pessoas visitem o país nos meses de verão, que ocorrem entre os meses de novembro e março. Porém, a medida, por mais animadora que seja, preocupa o setor médico. Especialistas dizem ser imprudente a reabertura do país para turismo no momento atual. O Chile está com o número de casos estável, mas o rastreamento de turistas é difícil, o que pode promover um surto, como opina o presidente do Colégio Médico Chileno, Izkia Siches.

Porém a diretora nacional de Turismo, Andrea Wolleter, garante que a reabertura é gradual e segue diversos protocolos. "Primeiro, começamos com o turismo doméstico. A indústria se preparou muito para esse momento".

Outra medida que contesta a preocupação dos médicos é que o governo se preocupou em monitorar todos os turistas que adentram no país. Sendo assim, como uma das regras para viajar ao Chile, é preciso preencher um formulário online no site do Ministério da Saúde. Outra forma de monitoramento segundo a vice-presidente executiva da Federação de Empresas de Turismo do Chile, Helen Kouyoumdjian, é um aplicativo desenvolvido pelo próprio Ministério.

“Apesar de ser possível visitar o Chile, com a abertura das fronteiras e entrada permitida de turistas, a pandemia ainda não terminou. Essas medidas não significam que podemos relaxar, pelo contrário, devemos ser ainda mais responsáveis e cuidadosos, pois conforme a condição sanitária permita, avançaremos ainda mais para poder reativar o setor” afirma o subsecretario de Turismo, José Luis Uriarte.

 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »