28/01/2021 às 21h50min - Atualizada em 28/01/2021 às 21h18min

‘O Tigre Branco’: o novo filme da Netflix que está sendo considerado o Parasita de 2021

Juliana Amorim - Editado por Bárbara Miranda

“Os pobres só têm duas formas de chegar ao topo: política ou crime. Não é a mesma coisa em seu país?”, essa é uma pergunta feita por Balram (Adarsh Gourav), no novo filme da Netflix ‘O Tigre Branco’, dirigido por Ramin Bahrani.




No último dia 22 (sexta-feira), estreou na Netflix, a adaptação do livro de Aravind Adiga, O Tigre Branco. A história narra a trajetória de Balram, um jovem e ambicioso indiano e a sua busca para escapar do ciclo de pobreza que o rodeia, enquanto questiona o sistema de castas e as relações entre servos e senhores na Índia.

O filme retrata uma Índia mais realista e crua, com uma fotografia mais sombria, bastante diferente da que estamos acostumados a ver nas produções coloridas de Bollywood. Além disso, o longa também retrata uma sociedade marcada pela divisão em castas ou, como o protagonista diz, dividida entre “os que tem poderes e os que não tem.

A trama é narrada em off pelo próprio Balram, que conta a sua história desde uma infância miserável, a sua ida para trabalhar de motorista para uma família rica, até o seu futuro como empreendedor e todas as escolhas questionáveis que tomou para chegar ao poder.



Mesmo tendo estreado há apenas alguns dias na plataforma, os internautas já puderam encontrar algumas semelhanças com outros longas de sucesso. Um deles é Parasita (
Bong Joon Ho), ganhador do Oscar de 2020, que igualmente se preocupa em retratar as mazelas do capitalismo e o conflito entre classes. Contudo, outros títulos também se assemelham ao estreante da Netflix, como, por exemplo, Quem Quer Ser um Milionário, dirigido por Danny Boyle e estrelado por Dev Patel.

Na verdade, O Tigre Branco se apresenta como um grande contraponto à obra de Boyle, ao retratar um desfecho mais próximo da realidade. No longa, não existe um programa em que o “mocinho pobre” tem a chance de mudar de vida. Pelo contrário, Balram precisa tomar decisões difíceis e que contradizem a todo o tempo o seu caráter e as razões que o levaram até ali. Muito semelhante ao que de fato acontece não só na Índia, mas em qualquer outro lugar no mundo.



Outro fato interessante é que o personagem principal não é retratado como um mocinho. Balram é um anti-herói de personalidade dúbia, que ora demonstra esperteza e ambição que o levam a cometer atos questionáveis e desprezíveis, ora demonstra uma ingenuidade digna de fazer a quem assiste sentir empatia pela situação social em que se encontra. E o público é muito mais do que um telespectador na história: ele é um personagem que testemunha cada ato cometido por Balram. O público é um aliado.

Por fim, vale a pena destacar a relação conturbada (e quiçá, universal) que Balram vive com o seu patrão Ashok (Rajkummar Rao) e a esposa Pinky (Priyanka Chopra Jonas). Ashok, um milionário que cresceu nos Estados Unidos, tenta a todo momento provar que é diferente da sua família, ignorando as tradições em que vive. Inicialmente, ele trata Balram como um amigo e até mesmo como parte da família, mas que com o tempo, vai se revelando tão arrogante e cruel com os pobres como qualquer outro rico.



O Tigre branco, inicialmente, aparenta ser um filme que retrata a realidade cruel na Índia, mas é muito mais do que isso: ele retrata uma realidade universal de abusos nas relações de poder. Nessas relações, Balram é tido como um animal raro, que só nasce uma vez a cada geração, enquanto que a maioria das pessoas, seguindo a metáfora do protagonista, são apenas galinhas no cativeiro esperando a sua vez de serem abatidas.




REFERÊNCIA

Netflix estreia o filme 'O Tigre Branco'. BlastingNews, 2021. Disponível em:<https://www.google.com/amp/s/br.blastingnews.com/sociedade-opiniao/2021/01/netflix-estreia-o-filme-o-tigre-branco-003266912.amp.html>. Acesso em: 25/01/2021.


 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »