13/02/2021 às 00h40min - Atualizada em 13/02/2021 às 23h46min

Escolas públicas do Paraná retomam aulas presenciais a partir de 1º de março

O estado adotará modelo híbrido, mas o retorno dos estudantes é optativo

Meire Santos - Editado por Ana Paula Cardoso
Divulgação/SEED


Na última terça-feira (9), o Governo do Estado do Paraná confirmou o retorno das aulas presenciais nas escolas públicas a partir do dia 1º de março.

De acordo com o cronograma divulgado pela Secretária de Estado da Educação e do Esporte (SEED) durante uma coletiva de imprensa, o ano letivo, no entanto, começará um pouco antes, em 18 de fevereiro. A ideia é que os alunos, professores e demais membros das instituições de ensino tenham esse período de uma semana para conhecerem a se adequarem às novas medidas sanitárias.

Entre os dias 18 e 26 de fevereiro, os alunos terão aulas exclusivamente online, que ocorrerão por meio do Paraná Aula TV, App, Youtube e Google Classroom. A recomendação é que os professores usem esse momento para realizar uma revisão dos principais assuntos trabalhados no ano de 2020.

Nesse mesmo período, os funcionários das escolas receberão orientações a cerca das novas medidas de segurança sanitária adotadas. Com horários previamente agendados, os pais  poderão visitar as instituições de ensino nos dias 20 e 27 de fevereiro para conhecerem os novos protocolos e tirarem  dúvidas. Para os mesmos fins, os estudantes também poderão realizar a visita nos dias 24, 25 e 26.

O retorno presencial de forma híbrida, ocorrerá efetivamente no dia 1º de março. Para que os alunos possam acompanhar as aulas nas instituições de ensino, os pais deverão assinar um termo de responsabilidade, que já está disponível na página da SEED-PR e nas escolas. A volta é opcional, portanto, os estudantes que não puderem ou não quiserem aderir ao novo modelo de ensino, poderão continuar exclusivamente no ensino remoto, por meio das plataformas digitais e, quando necessário, atividades impressas.

Os professores e demais funcionários que pertencem aos grupos de risco, que possuem 60 anos ou mais, gestantes e lactantes com filhos de até seis meses de idade poderão solicitar o afastamento para não atuarem de forma presencial.

Ensino híbrido

Inicialmente, o modelo  será feito de duas formas. Aproximadamente 850 colégios seguirão o formato síncrono, no qual o professor dará aula para os alunos que estiverem em sala e a mesma aula estará sendo transmitida via Google Meet para os alunos que estiverem em casa. Os outros 1.300 colégios farão um revezamento semanal entre as aulas presenciais e as que são transmitidas pelo Paraná Aula TV.

Para receber os alunos, as escolas deverão estar equipadas com álcool em gel, além de termômetros para aferir a temperatura de estudantes e funcionários. As salas de aulas também serão reorganizadas para que as carteiras tenham 1,5m de distância uma das outras. Com o intuito de evitar aglomerações, nos horários de pico como entrada, saída e intervalo, será feito um escalonamento entre as turmas. Além disso, o uso de máscara será obrigatório dentro das instituições.

As escolas que possuem turmas do ensino fundamental e médio no mesmo prédio farão um retorno gradual de acordo com a faixa etária dos estudantes. As turmas com crianças de até 10 anos voltam em 1º de março. Já as demais turmas do ensino fundamental retornam no dia 8 e o ensino médio dará início às atividades no dia 15.
 
Novo modelo divide opiniões

O retorno presencial tem dividido opiniões entre alunos e familiares. A universitária Stefani Morais, que é contra o modelo híbrido, afirmou que sua irmã, de 13 anos, continuará no ensino remoto. 
“Eu não concordo com a volta as aulas, mesmo que o número de alunos seja reduzido e [as aulas sejam] por apenas alguns dias na semana. Acredito que ainda haja um risco de contaminação entre alunos e professores, apesar das medidas de segurança, pelo fato do país estar sofrendo com um número elevado de contaminados [por Covid-19]. A minha irmã, por exemplo, continuará no ensino a distância pelo fato de achar mais seguro assim". 

Entre os que são a favor do novo modelo de ensino, o principal argumento é a ineficácia no ensino remoto. Esse é o caso do estudante Felipe Alves dos Santos, 15, que, junto com os pais, optou pelas aulas presenciais:
“O ensino remoto, no Paraná, pelo menos, tem que se desenvolver muito ainda. O modelo híbrido é mais qualificado, e os alunos, com toda certeza, aprendem muito mais, por isso que eu e meus pais optamos pelo modelo híbrido”, destaca Felipe.

Mobilização contra o retorno presencial

Desde que o governo do estado autorizou o retorno presencial, no dia 20 de janeiro por meio do decreto nº6.637, a APP-Sindicado, organização formada por professores da rede pública de ensino do Paraná, tem se manifestado contra a medida. Em 23 de janeiro, o sindicato aprovou greve geral a partir do dia 18 de fevereiro, que foi a primeira data divulgada pelo governo para o início das aulas no modelo híbrido. Com a mudança para o dia 1º de março, a APP-Sindicado diz que continuará se mobilizando e lutando contra o retorno presencial no estado. 

 
“Nós não queremos as aulas presenciais neste momento. Não é necessário piorar a contaminação que está posta para a retomada. Não custa esperar mais um pouco, fazer as aulas remotas e esperar até que tenhamos um controle maior desta pandemia e possamos voltar com segurança às salas de aula”, aponta Walkiria Mazeto, Secretária de Finanças da APP-Sindicato, em entrevista ao Jornal 30 de Agosto.
 
Referências:
PEREIRA, Roger. Volta das aulas presenciais na rede estadual é adiada no Paraná. Gazeta do Povo. 09/02/2021. Disponível em: <https://www.gazetadopovo.com.br/vozes/roger-pereira/governo-adia-volta-as-aulas/> Acesso em: 10 de fev. de 2021

SECRETARIA DA EDUCAÇÃO E DO ESPORTE. Faq Ano Letivo 2021. Secretaria da Educação e do Esporte. 09/02/2021. Disponível em: <
http://www.educacao.pr.gov.br/sites/default/arquivos_restritos/files/documento/2021-02/FAQ_Ano_Letivo_2021.pdf> Acesso em: 10 de fev. de 2021

RPC CURITIBA; G1 PR. Volta às aulas presenciais no Paraná será apenas na rede pública, diz Sesa. G1. 06/02/2021. Disponível em: <
https://g1.globo.com/pr/parana/educacao/noticia/2021/02/06/volta-as-aulas-presenciais-no-parana-de-forma-escalonada-sera-apenas-na-rede-publica-diz-sesa.ghtm> Acesso em: 11 de fev. de 2021

APP-SINDICATO. Governo recua e suspende início das aulas presenciais. APP-Sindicato. 09/02/2021. Disponível em <
https://appsindicato.org.br/governo-recua-e-suspende-inicio-das-aulas-presenciais/> Acesso em: 12 de fev. de 2021

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »