12/03/2021 às 11h57min - Atualizada em 12/03/2021 às 11h49min

Resenha crítica: WandaVision

A quarta fase do Universo Marvel estreou com a série da Feiticeira Escarlate

Anna Paim - Editado por Alinne Morais
Reprodução/Divulgação/DisneyPlus/Marvel
No último dia 5 de março, a Marvel lançou o tão esperado episódio de encerramento da série WandaVision. O seriado estreou em 15 de janeiro e teve episódios semanais no Disney+. Com ela, dá-se início à quarta fase do Universo Cinematográfico da Marvel.
Atenção: Esta matéria contém spoilers sobre a série.




MARVEL
A Marvel Studios divide seu universo cinematográfico em etapas. Sua primeira fase teve início em 2008 com o filme “Homem de Ferro” e encerrou quatro anos depois com “Vingadores”. A segunda, começou em 2013 com “Homem de Ferro 3” e foi encerrada em 2015 com “Homem Formiga. Já a terceira fase, estreou com “Capitão América: Guerra Civil”, em 2016 e encerrou-se com “Homem-Aranha: Longe de Casa”, três anos depois.
        
Nesse tempo, o Studio foi construindo seu legado e, assim, conquistou sua fã base ao redor do mundo. Aguardar pela estreia de um filme da Marvel no cinema tornou-se um evento anual (ou mais). Em 2009, a Marvel foi comprada pela Disney.


Quem é a Feiticeira Escarlate?


        
Nos quadrinhos, Wanda Maximoff e seu irmão gêmeo, Pietro, são filhos do principal vilão dos X-Men: Magneto. Sua primeira aparição foi em 1954 na HQ X-Men #4. Entretanto, no cinema, ela foi abordada de maneira diferente.
        
Sua primeira aparição nas telonas foi na cena pós-créditos de “Capitão América: Soldado Invernal”. Na cena, ela e Pietro são prisioneiros da organização terrorista Hidra, e estão manipulando seus poderes num quarto que é constantemente observado.
        
Posteriormente, os gêmeos Maximoff se uniram ao robô Ultron, no filme “Vingadores: Era de Ultron”. Seu intuito era derrotar Tony Stark. Porém, ambos acabaram trocando suas alianças e se juntaram aos Vingadores. Infelizmente, Pietro foi morto durante a batalha contra o robô.
        
A história de Visão


Visão também é introduzido ao universo no mesmo filme. Ele é o resultado da recomposição de protocolos de Jarvis (assistente pessoal virtual de Tony Stark). A inteligência artificial foi transportada por Stark, Bruce Banner e Thor para um “corpo perfeito”. Tendo consciência de si, Visão confirma ser uma nova personalidade. Ele e Wanda passaram a viver no complexo dos Vingadores e, ali, ficaram próximos.

Em Capitão América: Guerra Civil, Steve Rogers e Tony Stark acabam se confrontando a respeito do Acordo de Sokovia. Nesta batalha, Wanda ficou no time do Capitão, enquanto Visão apoiou o Homem de Ferro. No fim do filme, Wanda acaba em uma prisão especial.
 
Guerra Infinita
Wanda Maximoff passa a ser fugitiva e começa um romance com Visão. Entretanto, o vilão Thanos invade o país de Wakanda, atrás das joias do infinito. Por isso, a Feiticeira Escarlate é obrigada a destruir a Joia da Mente e matar Visão. Ali, tenta impedir que o Titã possua a pedra.
 
WandaVision
Após sua morte, o “corpo” de Visão é levado para a agência S.W.O.R.D (Departamento de Observação e Resposta de Mundo Senciente”. Ali, era analisado pelos cientistas presentes, pois queriam preservar o vibranium, um metal valioso do universo.

Então, Wanda vai até a agência, pois queria fazer uma “despedida decente” de seu amado. Porém, foi impedida por Tyler Hayward, o diretor da S.W.O.R.D.

Ao sair do estabelecimento, a heroína estava totalmente frustrada. Dirigiu-se, então, a um terreno em Westview, Flórida. Terreno esse, que tinha sido comprado por Visão, para que construíssem uma casa juntos.

A partir de um movimento totalmente inconsciente, Wanda cria uma nova realidade na cidade. Nesta, dá a vida a um “Visão”, fruto de sua memória, que torna-se seu esposo. Além disso, toda a realidade criada por ela é transmitida como uma sitcom, tal qual as que ela gostava de assistir durante sua infância.



Os três primeiros episódios se apresentam como uma incógnita para o público. Além do formato de sitcom, eles apresentavam várias outras referências do MCU, como, por exemplo, a logo da Hidra nas propagandas.

Diversas teorias surgiram entre os fãs, inclusive a de que o Pietro que aparece na série seria, na verdade, Mephisto, um vilão que aparece nos quadrinhos. Além disso, os fãs também pensaram que, na verdade, Wanda estava sendo controlada pela Hidra e era a verdadeira vilã da história. No decorrer da série, descobrimos que na verdade todo aquele mundo foi criado de modo involuntário e a vilã, é Agatha Harkness.
        
O último episódio foi intensamente aguardado nos últimos dois meses. Ele seria o pilar para compreender essa introdução à fase quatro do MCU. Nele, vemos o confronto entre Wanda e Ágatha e temos a plena certeza de que a Feiticeira Escarlate é uma das heroínas mais fortes do Universo.
        
De mesmo modo, a própria Wanda percebe que causou sofrimento aos moradores da cidade, aprisionando-os a uma realidade, mesmo que não tenha sido proposital. Ali, a Maximoff se vê num embate pessoal: deve manter o universo e manter sua família, ou deve salvar a vida daqueles pobres cidadãos inocentes?
        
Com o histórico cinematográfico da Marvel, é perceptível que seus produtores não são muito fãs de séries. Tanto é, que seus filmes foram os que mais tiveram sucesso. Entretanto, os filmes já estavam caindo numa zona de conforto, uma fórmula manjada. Os próprios fãs chegaram a reclamar disso.
        
Ao introduzir essa nova fórmula, o Studio dá a volta por cima e consegue entregar uma obra de arte. Em WandaVision, foi possível perceber que não perderam seu poder de deixar uma “pulga atrás da orelha” do telespectador.
        
Com a estreia de WandaVision, o fandom que ficou frustrado com tantos cancelamentos no cinema em 2020, pôde ser devidamente contemplado. E, com certeza, fomentou as expectativas para o que está por vir, ainda em 2021.



Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »