09/04/2021 às 09h16min - Atualizada em 09/04/2021 às 09h13min

Governo lança sistema para aprimorar proteção de dados

Ferramenta será capaz de analisar até 14 diferentes tipos de risco automaticamente

Thiago Oliveira - Editado por Manoel Paulo
Agencia Brasil
TheDigitalArtist/Pixabay
O governo federal anunciou na última semana um “kit de ferramentas” para ajudar na proteção de dados dos brasileiros. Ele deve analisar mais de 14 tipos de risco de forma automática. Segundo o governo, essa é mais uma forma de segurança em acordo com a Lei Geral de Proteção de Dados, de 2018.

Os dados analisados estão armazenados em softwares públicos, e são requisitados em processos do dia a dia, como ao fazer um check-in no aeroporto de forma online, entrar em sistemas do Instituto Nacional de Seguro Social (INSS) ou na hora de receber a parcela do auxílio emergencial.

Esse novo recurso de segurança atua para o cumprimento da LGPD, permitindo a checagem de possíveis brechas no sistema de segurança e privacidade das plataformas públicas que precisam ser analisadas.

“Trabalhamos pela transparência total no tratamento de dados dos cidadãos e no uso de suas informações pessoais apenas nos casos de consentimento e aplicação de políticas públicas”, disse o diretor do Departamento de Governança de Dados e Informações da Secretaria de Governo Digital, Mauro Sobrinho.
 
Últimos vazamentos

Em janeiro deste ano um mega vazamento de dados colocou na rede informações de 223 milhões de brasileiros. O número é maior que a população do país pois os criminosos tinham dados de pessoas já falecidas.

O vazamento foi separado em duas partes, um menos abrangente era liberado através de link, e poderia ser encontrado por qualquer pessoa que tivesse acesso. Já outro, que continha informações da seguridade social, benefícios como o Bolsa Família e até o Score de crédito, disponibilizado pelo Serasa, estava sendo comercializado em lotes na internet.

Em março a Polícia Federal chegou a prender hackers suspeitos de ter negociado as informações, e segundo as investigações da PF, Marcos Roberto Correia da Silva, conhecido como “Vandathedog”, foi o responsável pelo vazamento dos 223 milhões de dados.

Marcos já havia sido indiciado em agosto do ano passado por invasão aos sistemas do Senado, que expos informações de servidores e ex-servidores do Tribunal Superior Eleitoral, TSE.

Além de Marcos, a operação da PF prendeu um segundo hacker em Petrolina (PE). Yuri Batista Novaes foi preso em flagrante na posse de uma arma e 4 terabytes de dados, que estão sendo analisados pela polícia. Segundo a investigação ele também teria participado da obtenção dos 223 milhões de dados.
 
 
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »