24/04/2021 às 23h59min - Atualizada em 24/04/2021 às 23h45min

Oscar 2021 e suas adaptações na pandemia

Com renovações e recordes a edição deste ano começa histórica

Júlio Lisboa - Editado por Alinne Morais
Fontes: Omelete / Tecmundo / Oscars.com / Ator: Lucas Lopes
observatoriodocinema.uol.com.br/
Neste domingo (25) ocorre a 93ª edição do Oscar. Em meio a pandemia, a premiação traz um conjunto de momentos importantes que já estão sendo memoráveis desde a anunciação dos indicados.

Para que fosse possível, a tradicional cerimônia passou por várias adaptações, acarretando um adiamento. Sendo assim, é a quarta vez na história em que ela é adiada. Isso só ocorreu em 1938, com inundação da cidade de Los Angeles; em 1968, com o assassinato de Martin Luther King; e em 1981, por causa da tentativa de assassinato do então presidente Renald Reagan.

Um dos motivos para o atraso da cerimônia, era que seus organizadores queriam que o evento acontecesse de maneira presencial, diferente de importantes premiações que ocorreram online este ano em decorrência da pandemia. O evento será mais intimista do que em outras edições, somente os apresentadores, os indicados e seus acompanhantes estarão presentes.

Além disso, a cerimonia deve ocorrer em dois lugares: No tradicional Dolby Theatre, onde a premiação ocorre todos os anos e na Union Station, uma estação de trem em Los Angeles.

É regra da academia que para ser indicado o filme deve ser lançado entre 1 de janeiro a 31 de dezembro do ano anterior, já em 2021 os prazos foram estendidos de 1 de janeiro de 2020 a 28 de fevereiro de 2021.

Em anos anteriores as produções também deveriam ser exibidas nos cinemas para que chegassem à premiação, mas com os cinemas fechados houve uma flexibilidade na regra, levando em consideração estreias em drive-ins e também lançamentos diretamente em streamings.


RECORDES

Um dos pontos altos desta edição do Oscar é a diversidade entre seus concorrentes, a quantidade de mulheres, negros e pessoas de outros países indicados. O cinéfilo, ator e fã da premiação, Lucas Lopes diz a importância de ampliar a visão para o mundo:

“Há muito tempo a falta de representatividade tem gerado um incomodo, e embora é a premiação considerada mais importante no mundo, sempre teve a cultura norte-americana enraizada, como uma bolha.”
 
Pela primeira vez na história, duas mulheres foram indicadas na categoria de melhor direção, são elas: Chloé Zhao, por Nomadland; e Emerald Fenner, por Bela Vingança. Chloé Zhao é também a primeira mulher chinesa a ser indicada na categoria de direção.

Diana Warren acumula sua 12º indicação na categoria de melhor canção original pelo filme Rosa e Momo e Laura Pausini co-autora da canção, é a primeira mulher italiana a ser indicada.

No ano passado Parasita foi um fenômeno e levou os principais prêmios, abrindo portas para filmes estrangeiros se destacarem na premiação.

A produtora coreana Christina Oh foi indicada pela primeira vez pelo filme Minari na categoria de melhor filme. O ator Steven Yeun é o primeiro ator asiático a ser indicado a categoria de melhor ator.

Riz Ahmed é o primeiro ator descendente de paquistanês e o primeiro mulçumano indicado para melhor ator, pelo longa O Som do Silêncio.

 O dinamarquês Thomas Vinterberg está indicado na categoria de melhor direção pelo filme Druk.

 A representatividade negra cresceu ainda mais este ano. Viola Davis, indicada a melhor atriz pelo filme A Voz Suprema do Blues torna-se a atriz negra com maior número de indicações ao longo das edições, totalizando quatro, duas como melhor atriz e duas como melhor atriz coadjuvante. Ainda na categoria de melhor atriz tem Andra Day, indicada pelo filme Estados Unidos vs Billie Holiday. É a primeira vez em que a categoria tem duas negras indicadas em quarenta e nove anos, a última vez que isso ocorreu foi em 1972.
 
 O longa A Voz Suprema do Blues também está indicado a Melhor Maquiagem. Mia Neal e Jamika Wilson são as primeiras negras a serem indicadas na categoria. O ator Chadwick Boseman também é indicado a melhor ator.

Judas e o Messias Negro é um filme com a equipe de produção formada totalmente por negros e recebeu indicações de melhor ator coadjuvante para Daniel Kaluuya e LaKeith Stanfiel. Juntos com Leslie Odom Jr., indicado pelo filme Uma Noite em Miami, fazem história sendo a primeira vez que três negros disputam a mesma categoria.

 
PREMIAÇÃO

A premiação será transmitida oficialmente pela TNT a partir das 20h30. A Globo também exibe após o Big Brother Brasil a partir de 00h30 mas também será disponibilizado pela Globoplay para não assinantes.
 


Veja abaixo as indicações deste ano:
 

MELHOR FILME

Meu Pai
Judas e o Messias Negro
Mank
Minari
Nomadland
Bela Vingança
O Som do Silêncio
Os 7 de Chicago
 

MELHOR DIREÇÃO

Thomas Vinterberg - Druk: Mais uma Rodada
David Fincher - Mank
Lee Isaac Chung - Minari
Chloé Zhao - Nomadland
Emerald Fennell - Bela Vingança
 

MELHOR ATOR

Riz Ahmed - O Som do Silêncio
Chadwick Boseman - A Voz Suprema do Blues
Anthony Hopkins - Meu Pai
Gary Oldman - Mank
Steven Yeun - Minari
 

MELHOR ATRIZ

Viola Davis - A Voz Suprema do Blues
Andra Day - Estados Unidos Vs Billie Holiday
Vanessa Kirby - Pieces of a Woman
Frances McDormand - Nomadland
Carey Mulligan - Bela Vingança
 

MELHOR ATOR COADJUVANTE

Sacha Baron Cohen - Os 7 de Chicago
Daniel Kaluuya - Judas e o Messias Negro
Leslie Odom Jr. - Uma Noite em Miami
Paul Raci - O Som do Silêncio
Lakeith Stanfield - Judas e o Messias Negro
 

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE

Maria Bakalova - Borat: Fita de Cinema Seguinte
Glenn Close - Era uma Vez um Sonho
Olivia Colman - Meu Pai
Amanda Seyfried - Mank
Yuh-Jung Youn - Minari
 

MELHOR ROTEIRO ADAPTADO

Borat: Fita de Cinema Seguinte
Meu Pai
Nomadland
Uma Noite em Miami
O Tigre Branco
 

MELHOR ROTEIRO ORIGINAL

Judas e o Messias Negro
Minari
Bela Vingança
O Som do Silêncio
Os 7 de Chicago
 

MELHOR CURTA-METRAGEM

Feeling Through
The Letter Room
The Present
Two Distant Strangers
White Eye
 

MELHOR ANIMAÇÃO

Dois Irmãos: Uma Jornada Fantástica
A Caminho da Lua
Shaun, o Carneiro, o Filme: A Fazenda Contra-Ataca
Soul
Wolfwalkers
 

MELHOR CURTA DE ANIMAÇÃO

Burrow
Genius Loci
If Anything Happens I Love You
Opera
Yes-People
 

MELHOR DOCUMENTÁRIO

Collective
Crip Camp: Revolução pela Inclusão
The Mole Agent
Professor Polvo
Time
 

MELHOR DOCUMENTÁRIO DE CURTA-METRAGEM

Collete
A Concerto is a Conversation
Do Not Split
Hunger Ward
A Love Song for Latasha
 

MELHOR FILME INTERNACIONAL

Druk: Mais uma Rodada (Dinamarca)
Better Days (Hong Kong)
Collective (Romênia)
O Homem que Vendeu Sua Pele (Tunísia)
Quo Vadis, Aida? (Bósnia)
 

MELHOR FOTOGRAFIA

Judas e o Messias Negro
Mank
Relatos do Mundo
Nomadland
Os 7 de Chicago
 

MELHOR MONTAGEM

Meu Pai
Nomadland
Bela Vingança
O Som do Silêncio
Os 7 de Chicago
 

MELHORES EFEITOS VISUAIS

Amor e Monstros
O Céu da Meia-Noite
Mulan
O Grande Ivan
Tenet
 

MELHOR TRILHA SONORA ORIGINAL

Terence Blanchard - Destacamento Blood
Trent Reznor e Atticus Ross - Mank
Emile Mosseri - Minari
James Newton Howard - Relatos do Mundo
Trent Reznor, Atticus Ross e Jon Batiste - Soul
 

MELHOR CANÇÃO ORIGINAL

“Fight for You” - Judas e o Messias Negro
“Hear my Voice” - Os 7 de Chicago
“Husavik” - Festival Eurovision da Canção: A Saga de Sigrit e Lars
“Io Sí” - Rosa e Momo
“Speak Now” - Uma Noite em Miami
 

MELHOR SOM

Greyhound
Mank
Relatos do Mundo
Soul
O Som do Silêncio
 

MELHOR FIGURINO

Emma
A Voz Suprema do Blues
Mank
Mulan
Pinóquio
 

MELHOR CABELO E MAQUIAGEM

Emma
Era uma Vez um Sonho
A Voz Suprema do Blues
Mank
Pinóquio
 

MELHOR DESIGN DE PRODUÇÃO

Meu Pai
A Voz Suprema do Blues
Mank
Relatos do Mundo
Tenet
 

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »