03/06/2021 às 22h25min - Atualizada em 03/06/2021 às 22h23min

A ‘real’ agora é outra: nota brasileira está no caminho da era digital

Projeto em discussão se difere de criptoativos, mas ainda sim fará uso de base Blockchain.

Beatriz Macedo - Editado por: Celine Almeida

Anunciado no fim de maio, o projeto para o desenvolvimento da moeda digital brasileira tem garantido diversas discussões internas no Banco Central do Brasil (BCB). Extensão de real físico será emitida e supervisionada pela instituição, tendo seu lançamento - de acordo com o coordenador da elaboração da moeda digital, Fábio Araújo - entre os anos de 2023 e 2024.


Ainda em fase de estudos, projeto prevê favorável uso em pagamentos em sistemas de varejo, também colaborando para a economia e participação não só de cenários econômicos locais, como globais.  Decisão nacional acompanha uma realidade já conhecida em outros países, como China e Estados Unidos. 

 

 A instituição brasileira considera o uso do Blockchain, apesar de deixar a diferença entre criptomoedas, como Bitcoin e Ethereum, bem clara. A moeda partilhará de mesmos valores que o real físico, sem especulações e oscilações de ativos. 

 

Mesmo bem estruturada, a iniciativa ainda possui algumas questões em suspenso, métodos de conversão e funções adicionais continuam sem resposta.



 

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »