04/06/2021 às 17h04min - Atualizada em 04/06/2021 às 16h55min

Febre das miçangas: por que o acessório voltou a ser tendência?

Divertidas, coloridas e simples, as miçangas têm grande potencial no mercado da moda, podendo ser exploradas de várias formas.

Tai Alves - Editado por Daniel Magalhães
Reprodução: All Beads
As miçangas têm se tornado os acessórios mais comentados durante todo esse período de pandemia. A tendência, muito comum no fim dos anos 90, voltou com tudo no meio de 2020 e segue firme. Assim como a maioria das tendências de moda que vêm nascendo ou renascendo no último ano, essa explosão começou no Tiktok, aplicativo de vídeos curtos que vem sendo uma peça-chave para a criação de novas febres e modas.

Da palavra de origem africana “masanga”, que significa “contas de vidro miúdas”, as miçangas surgiram no Egito entre 2400 e 1600 A.C e eram utilizadas como moeda de troca na Europa pelos Romanos,de acordo com a pesquisadora e antropóloga Els Lagrou. Mais simples, a miçanga era utilizada por quem não tinha como arcar com joias mais caras, feitas com pedras preciosas ou pérolas, por exemplo, e também por ser um material barato e bastante dinâmico com cores e modelos variados, que transformou o acessório em um atrativo.

Hoje, com a pandemia e jovens de vários países trancafiados em casa devido ao distanciamento e isolamento social, muitos decidiram colocar a mão na massa e criar variações com o material. Com os muitos vídeos no Tik Tok e outras redes sociais, todos acabaram sendo apresentados a estilos diferentes e categorizados, como a forma de vestir das 'E-girls', o estilo 'Cottage Core' e o Y2K. Entre os diferentes estilos, o que ganhou mais notoriedade foi o 'Kid core', que tem como princípio o estilo adolescente dos anos 90 com bandanas, a calças jeans do estilo wide leg e as tão memoráveis e reproduzidas miçangas. 
Gabriella Stradiotto, formada em Publicidade e content moderator no Tiktok, diz que tanto como consumidora do aplicativo quanto como moderadora dos vídeos, os conteúdos de miçanga tiveram um aumento considerável nos últimos meses e que grande parte deles são os famosos DIY, sigla que tem como tradução o “faça você mesmo“.

“O potencial de sucesso no Tiktok é muito grande, o algoritmo ajuda e não é necessário ser famoso para ter relevância. Se o conteúdo for bom, o vídeo tem grandes chances de estourar. Consigo ver e ter certeza de que o Tiktok ainda lançará tendências por muito mais tempo.”, explica Gabriella.


Com a chegada da pandemia, os vídeos de “faça você mesmo” estouraram. Um exemplo é o cardigã que o cantor Harry Styles usou em uma apresentação em fevereiro de 2020. A peça foi feita exclusivamente para ele, pelo designer inglês Jonathan Anderson, da grife JW Anderson, ou seja, não estava à venda. Isso não foi um impeditivo para que as fãs do Harry tentassem ter um cardigã idêntico ao do cantor e um movimento enorme começou na plataforma do Tiktok com milhares de fãs ensinando e compartilhando sua jornada em tricotar o casaco. A peça foi tão replicada que a própria marca disponibilizou um vídeo no Youtube com a crocheteira responsável pela casaco ensinando outros a fazer uma versão idêntica do acessório.

Além da volta de algumas tendências dos anos 90, a relevância de artistas usando peças-chaves do período também é um grande fator para a criação de tendências relevantes. Harry Styles, Dua Lipa, Gigi Hadid e Manu Gavassi são alguns dos adeptos dos acessórios de miçanga.
 

Giovana Marchi e Virginia Cardoso são primas e donas da loja de acessórios Maranta. Elas começaram o negócio um pouco antes da pandemia, com o intuito de fazerem acessórios para uso próprio que lembrassem seus ídolos já que Virginia é fã de Harry Styles e Louis Tomlinson, ambos ex membros da boyband One Direction. Quando decidiram abrir a Maranta, não imaginavam que daria tão certo. Algumas peças da loja são  inspiradas em peças que os próprios artistas aparecem usando. “Normalmente, quando aparece algum acessório novo do Harry, por exemplo, a gente já vai correndo procurar as peças para tentar trazer igual para a loja no mesmo dia.”, comenta Virginia. Giovana conta que a Maranta já vendeu para todos os estados do Brasil e até para Londres e que pretendem expandir ainda mais a loja.
 


Sendo extremamente fáceis de fazer, a confecção de miçangas serviu como terapia e passatempo nos últimos meses em casa e até serviu como elemento nostálgico para quem foi criança nos anos 2000, desbloqueando memórias. “Eu sempre amei e fazia para vender na escola! Minha irmã sempre manteve o contato com miçangas para as artes que ela produz então eu sempre tentei fazer algo e até fizemos uma coleira para a nossa gata.”, conta Gabriella.



Apostas dizem que as miçangas não são uma tendência sazonal e vieram para ficar.

As peças de miçanga são uma tendência básica, são baratas, práticas e ajudam a trazer um ponto de cor até em looks mais clássicos e formais, mas pode ser usada também em looks completamente coloridos e divertidos, que é o que está em alta recentemente. E aí, te convenci a usar os acessórios de miçanga?

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »