06/06/2021 às 22h51min - Atualizada em 06/06/2021 às 22h25min

Pós-pandemia: empreendedores de moda inovam e buscam saídas para crise da covid-19

Os profissionais de moda se reinventaram e buscaram respostas mais rápidas à crise sanitária

Gabriella Lima - Editado por Larissa Barros
Tim Douglas / Pexels
Em março de 2020, o mundo passou por uma mudança drástica devido a uma nova realidade causada pela pandemia do novo coronavírus e do isolamento social. Tudo parou, e não foi diferente com o setor da moda, uma das áreas que mais sofreram com esta crise.

Embora os profissionais dessa área não saibam o tempo de duração da crise e a gravidade da pandemia na indústria da moda, eles tentam aprender a lidar com esse momento e as futuras oportunidades.

A empreendedora de Belo Horizonte,Taina Oliveira, foi uma das impactadas por essas mudanças. De acordo com ela, o período de isolamento modificou a forma como ela se relacionava com as clientes.

 
“[A pandemia] Influenciou em muitos aspectos: em como eu me relacionava com meus clientes, como eu me posicionava na internet, nas escolhas das peças e até mesmo no valor delas. Eu estudei de todas as formas a melhor maneira de lidar com as adversidades que a pandemia me trouxe”,explicou.

No ramo há cerca de dois anos, Tainá estava ganhando reconhecimento com a venda de roupas e, a cada dia, surgiam pessoas procurando por seus produtos. Entre as primeiras consequências sentidas pela empreendedora após o avanço do vírus no Brasil, está o fechamento da loja física.

“Tive consequências graves como por exemplo ter que fechar a loja física que já existia há 2 anos. Tive uma queda muito drástica, já que eu trabalhava com peças mais festivas e elegantes e os eventos não estavam ocorrendo”, contou.


Apesar da indústria da moda ser uma das que mais sofreram durante esse período, ela é uma das poucas que tiveram uma chance de se reinventar e ter uma resposta mais rápida a esse “novo normal”.

 
“Essas mudanças pós-pandemia trouxeram ao meu trabalho mais visibilidade na internet e a oportunidade dos meus clientes conhecerem quem estava por trás da marca e a oportunidade também, deles conhecerem o que se passa dentro dos processos da loja, já que eu busquei ter um atendimento mais humanizado”, completa.

Com tantas transformações, será cada vez mais exigido dos profissionais ter responsabilidade e um comportamento condizente com essa nova realidade, pautando o bem-estar e a transparência. O mundo mudou e, com ele, nasceu um novo consumidor, mais consciente e preocupado com o conforto. A empreendedora afirma que, os futuros clientes vão procurar consumir de marcas mais humanizadas, com propósitos bem definidos e alinhados com os deles. Além de serem mais adeptos às compras online.

“Acredito que, como tudo na vida vem para nos ensinar algo, com a pandemia não foi diferente, estamos mais fortes e mais abertos a novas experiências. O que virá será muito maior e melhor”, destacou.

Não podemos negar que, obtivemos aprendizados durante a crise sanitária causada pela covid-19. Pensando a partir da ideia de que, toda dificuldade é uma oportunidade para evoluímos e crescemos.

 
“Eu aprendi que, uma empresa tem que estar sempre preparada para as adversidades, principalmente no financeiro, que nunca devemos paralisar em meio ao novo, que devemos buscar soluções e nos reinventar. Há sempre um novo caminho a seguir e algo precioso a se aprender. Eu estou lidando com as mudanças procurando sempre escutar e suprir as necessidades dos meus clientes, estudando e aprendendo mais sobre essa realidade”, afirmou.

Por fim, estamos vivendo em um mar de incertezas e inquietudes, que nos permitiu refletir sobre tudo. Apesar de nenhum negócio sair ileso e ser o mesmo no pós-pandemia, é preciso nos unir e criar forças para sempre nos reinventarmos, buscando soluções, além de novos ideais para este “novo normal” que está nos moldando.

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »