23/07/2021 às 18h14min - Atualizada em 17/07/2021 às 14h02min

Um resgate do passado: a tendência dos anos 70 está de volta

O excêntrico volta com tudo, e nos desfiles de alta-costura foram exibidas referências aos anos 70

Flávia Pereira - Editado por Clara Molter Bertolot
Coleção de alta-costura 2021/2022 de Alexandre Vauthier | Reprodução: Instagram/Alexandre Vauthier
A moda é cíclica e vemos tendências passadas voltando para o nosso guarda-roupa o tempo todo. Seja no TikTok, seja em produções de street style e das it-girls, podemos observar que a década de 70 está de volta, tanto em roupas, cabelos, make-up e músicas, como as bandas Fleetwood Mac, KISS, Led Zeppelin, Blondie e ABBA.
 
Em uma aula do curso de Coolhunting com a FFW aprender e Clémentine Paris, foi citado que o excêntrico volta com tudo nesta temporada de outono-inverno. Nos desfiles de alta-costura de outono-inverno 2021/2022, foram exibidas referências aos anos 70, como o boêmio e o glamour, visto em coleções de grifes como Alexandre Vauthier, Azzaro e Schiaparelli, por exemplo. Ano passado (2020), em desfiles de prêt-à-porter (pronto para vestir) foram exibidas coleções com influências setentistas como a Etro, Pat Bo e Chanel.
 
Segundo uma pesquisa realizada pelo Pinterest, publicada na FFW, a busca por moda dos anos 60 e 70 aumentaram 133 vezes durante a quarentena.

Com a esperança do término da pandemia da Covid-19, a era libertadora que foram os anos 70 pretende refletir nas pessoas a busca em viver numa sociedade mais leve, e isso vai espelhar nas produções de looks mais excêntricos e fluídos, com brilho e um ar mais despojado.

No pós-pandemia do novo coranavírus, teremos vestidos mais leves de manga longa, estampas psicodélicas, florais e de paisley, brilho, franjas, calças acinturadas com a barra mais larga — um exemplo é a calça wide leg — mix de acessórios, chapéus, óculos grandes e maximalismo no street style.

O estilo de cabelo shaggy hair (corte em camadas leves e com volume na raiz), usado pela atriz Farrah Fawcett, também está em alta. Inclusive, em um vídeo no TikTok, Malorry Jade, dona da @groovy_mal, ensina como fazer o cabelo, enrolando as pontas e a franja com uma escova, chacoalhando a cabeça para dar um volume aos fios.
 

 
A banda italiana de hard rock, Måneskin, está fazendo sucesso no TikTok com as músicas “Beggin” e “I Wanna Be Your Slave”. Os integrantes do grupo possuem um estilo glam rock setentista, o que ressalta a ideia do resgate desta tendência na moda.
 
 

 
A marca de roupas inspirada na cultura hippie, Bixo Grillo, criada em 2013, possui 312 mil seguidores no Instagram. A loja tem um público fiel, que compra por acreditar ser um estilo de vida, e não porque está na “moda”.
 
 

 
Isabela Sandoval Lima, 25 anos, proprietária da marca Bixo Grillo, diz que sempre gostou da filosofia hippie, tanto a cultura quanto nas vestimentas. Em 2013, ela sentiu dificuldade de encontrar alguma loja que vendesse peças que remetessem à esta cultura:
 

“Então fiz uma pesquisa e vi muitas referências desse estilo de vestimenta que eu tanto gostava, que era originário dos anos 70, do movimento hippie, e que a partir disso também surgiram outros estilos” diz a proprietária da Bixo Grillo.




 
Ela ressalta que, por ser uma tendência, pode influenciar nas vendas, mas que seu público geralmente não é ligado naquilo que está "em alta":
 

“Minha marca visa muito usar o que você gosta independente disso estar ou não em alta, liberdade na escolha na hora de se vestir e vestir com essência. Hoje tenho clientes que compram todos os meses porque isso faz parte da rotina e do estilo de vida deles”, fala Isabela.

 
It-girls brasileiras como Victoria Hollo, Julia Levenstein e Catharina Dieterich, utilizam referências desta década em seus looks como jaquetas com franjas, vestidos fluídos, chapéus, brilho, paetê, estampas psicodélicas, lenços na cabeça, camisetas de banda e o estilo boho chic.


 
Basicamente, a influência de peças da década de 70 nos looks não é apenas uma tendência, mas sim algo que veio para ficar. Pessoas que gostam desta década usam roupas setentistas como um estilo, não importa a época, o que torna uma estética pessoal. Isso vai além de ser algo que "está na moda", ou não.

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »