23/05/2022 às 12h36min - Atualizada em 23/05/2022 às 12h30min

Pesquisadores da UFRN e da UFPA lançam site Preserv-Ação

Plataforma é composta por um grande banco de dados sobre comunicação, ciência e meio ambiente.

Lucas Aguiar - Editado por Maria Paula Ramos
Arte: Lucas Aguiar

O Grupo de Pesquisa em Comunicação, Ciência e Meio Ambiente (Preserv-Ação) vinculado ao Programa de Pós-Graduação em Estudos da Mída (PPgEM) da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) e ao Programa de Pós-Graduação em Comunicação, Cultura e Amazônia (PPGCOM) da Universidade Federal do Pará (UFPA), acaba de lançar um banco de dados sobre o agronegócio brasileiro e sua relação com a mídia e à política nacional. O site já está disponível e pode ser acessado pelo link https://grupopreservacao.com.br.

 

O site reúne um vasto banco de dados sobre projetos de leis relacionados ao agronegócio, produções acadêmicas e outros conteúdos de divulgação científica acerca da temática ambiental e da Amazônia. 

 

Quem visitar o site poderá visualizar imagens, conteúdo humorístico e vídeos sobre campanhas que envolvem temas como agricultura e políticas públicas, além de consultar mais de 140 publicações de diversos segmentos de análise. 

 

Além disso, o site apresenta resultados e dá prosseguimento à ampliação e à consolidação da base teórica, analítica e metodológica inerente às pesquisas que investigam a produção de sentidos no cotidiano a partir do discurso midiático na inter-relação entre comunicação, ciência e meio ambiente.

 

As principais atividades desenvolvidas pelos pesquisadores do Preserv-Ação são: produção de artigos científicos, peças radiofônicas, análise de dados e atividades relacionadas às áreas de interesse da pesquisa, leituras direcionadas, participação e organização de eventos científicos.

 

O projeto, que tem apoio do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), é coordenado pela professora Luciana Miranda do Departamento de Comunicação Social da UFRN. Ademais, através do site também é possível acessar as redes sociais do grupo de pesquisa e conhecer melhor sobre as produções científicas de todos os membros que colaboram para os estudos do Preserv-Ação. 


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »