20/07/2019 às 09h40min - Atualizada em 20/07/2019 às 09h40min

Você viu aonde foi parar o meu tempo?

Até onde vai os limites do tempo dedicado a vida profissional, acadêmica e pessoal?

Juliana Barbosa - Editador por Leonardo Benedito
Pixabay
O que é o tempo em uma sociedade dominada pela velocidade dos acontecimentos cotidianos, não é mesmo?!

Você que estuda, trabalha, tem família constituída e tem que lidar com tudo isso de uma só vez já deve ter se deparado com as dificuldades em cumprir com seus compromissos devido ao acumulo de atividades no dia-a-dia.

As pessoas estão sobrecarregadas com as tarefas rotineiras que ocupam 95% do seu pensamento. Na maioria dos casos, as principais preocupações são trabalho e estudo. A produtividade exigida no espaço de trabalho e a excelência nos estudos faz com que a pessoa anule os outros espaços de sua vida. Não é incomum ouvir alguém dizer que recusou um convite para um passeio ou uma festa por causa de trabalho acumulado ou porque tinha que estudar para uma prova.

Não dá para dizer que a culpa da correria do dia-a-dia é apenas da falta de organização do tempo útil, mas também das exigências profissionais que estão cada vez mais rígidas. O mercado de trabalho está cada vez mais agressivo. A competitividade por uma vaga exige que os profissionais estejam cada vez mais capacitados. Hoje, além de experiência, o mercado prima pelo diferencial. Para conquistar um bom espaço, o profissional está recorrendo a diversas qualificações buscando conquistar as melhores vagas.

Na busca por uma carreira profissional qualificada, os jovens que ingressaram na graduação, dedicam seu tempo as atividades extracurriculares e projetos de extensão como forma de vivenciar todas as possibilidades proporcionadas pela vida acadêmica. Toda esse experiência adquirida contribui para a construção de um bom currículo. Todavia, essa dedicação vivenciada na graduação, acaba por prejudicar as relações sociais e os vínculos construídos anteriormente.

Essa é uma perspectiva de um profissional ou estudante que não possui família constituída (marido ou mulher, e filhos). Agora tente imaginar uma mãe ou pai que tenta conciliar trabalho, estudo e família? Sua estrutura estará completamente fragilizada, não conseguindo destinar a atenção devida à determinadas áreas de sua vida.

É preciso salientar que não somente as relações sociais e familiares são prejudicadas devido ao acumulo de afazeres oriundos da rotina extenuante de trabalho e estudo. Preocupam também os problemas físicos, emocionais e psicológicos decorrentes dessa rotina, como estresse, fatiga, irritação, aumento ou perda de peso, ansiedade, dores de cabeça, variações constantes de humor e até mesmo depressão.

As tecnologias, apesar de serem facilitadoras na execução de atividades profissionais e acadêmicas, prejudicam as relações interpessoais. É muito fácil desmarcar um compromisso sem ter que falar diretamente com a outra pessoa graças aos aplicativos de mensagem instantânea. Desta forma, a vida social vai sendo deixada de lado, sem perceber que as pessoas vão se cansando de esperar até que o outro consiga um tempo livre.

Existem hoje várias formas que possibilitam organizar tarefas e compromissos diários. O exemplo mais comum é a velha e boa Agenda, nela você pode anotar e marcar seus compromissos de modo antecipado. Em segundo lugar, têm-se o Caderno ou Bloco de Notas, nele dá para fazer listas diárias com as tarefas mais importantes e ir riscando de acordo com que forem realizadas. Em terceiro lugar está o Planner, que são ferramentas feitas para organizar o dia de forma mais simples. A diferença do planner e da agenda, é que ele possibilita organizar não somente os compromissos dom dia-a-dia, mas também hábitos, check-list e controle financeiro. Além dos métodos tradicionais, existem também os aplicativos organizacionais. Como exemplo, podem ser citados a Google Agenda, OneNote e Evernote.

Conciliar todas as áreas da vida é um desafio difícil de ser conquistado, porém, se faz necessário, tendo em vista que não se pode viver apenas para as obrigações da vida profissional. É preciso ter uma válvula de escape. Sair com os amigos, ir ao cinema, ler um livro, escutar música ou praticar atividades físicas. Essas são atividades que auxiliam a direcionar a tensão adquirida devido ao acumulo. Como afirmou Aristóteles, “O homem é um ser social”, deste modo é imprescindível manter e construir novas relações.

É preciso delimitar os limites e o tempo a ser gastos na vida profissional, acadêmica e pessoal. Não será fácil, contudo, com o jeito certo, é possível ter um pouco de organização e ainda sim desfrutar dos lazeres, curtir a família e os amigos e acima de tudo, descansar da correria que é a vida atualmente.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »