30/08/2019 às 12h46min - Atualizada em 30/08/2019 às 12h46min

Tecnologia à serviço da saúde mental

Como que aplicativos e inteligências artificiais buscaram soluções para a doença considerada pela OMS “o Mal do Século”.

Cíntia Macêdo - Edição: Manoel Paulo

De acordo com dados divulgados pela Organização Mundial da Saúde em 2017, mais de 300 milhões de pessoas sofrem de depressão no mundo. No Brasil os números chegam a atingir 5,8% da população. Tendo em vista a doença que é considerada como “o Mal do Século” pela OMS.

Para reverter os quadros negativos, a facilidade de acesso de conteúdos pela internet e dos aparelhos móveis trouxe investimento de empresas tecnológicas com aplicativos e softwares de inteligência artificial para informar e ajudar pessoas com transtornos mentais como a depressão e ansiedade. 
 

Vitalk

A startup brasileira TNH Health, foi vencedora no início do ano da competição global Open Innovation Contest, competição que premia empresas com ações inovadoras em negócios, estratégia, e TI. Sua principal inovação foi a criação, em julho de 2019 da Vitalk, uma Inteligência Artificial que monitora o sentimento dos usuários diariamente e busca oferecer soluções para a saúde mental com o formato de chatbot, onde conversa com os usuários com a utilização da rede social, o Facebook Messenger.





 

Querida Ansiedade

O aplicativo ‘Querida Ansiedade’, criada em 2016 pela psicóloga Camila Wolf junto com a designer Ana Luiza Parente é considerado o aplicativo favorito dos brasileiros, possuindo atualmente mais de 1 milhão e meio de downloads nos sistemas Android e iOS. A plataforma simplista é um dos principais atrativos, no qual possui textos para leitura, vídeos de meditação e um diário de escrita terapêutica. 


Instagram

Outras ações de apoio e ajuda aos usuários com depressão e ansiedade têm sido oferecidas nas redes sociais como o Instagram, no qual ao pesquisar as hashtags ligadas à transtornos mentais na plataforma, uma mensagem aparece com o texto de aviso de conteúdo. O aplicativo dá duas opções para a seleção, sendo o primeiro de obter ajuda e suporte para a crise que o usuário esteja passando, ou de continuar e ver as imagens e vídeos disponibilizadas na hashtag.

 


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »