14/10/2019 às 20h10min - Atualizada em 14/10/2019 às 20h10min

Nasa 'ouve' ruídos abaixo da superfície de Marte pela 1ª vez

Em terras marcianas há 1 ano, sons foram a primeira captura de um “martemoto”

Caio Costa - Editado por Thalia Oliveira
Sonda Insight em Marte. Foto: NASA
No início de outubro, a National Aeronautics and Space Administration (NASA) anunciou oficialmente a captura de mais de cem movimentações sísmicas em Marte nos últimos seis meses. Os sons foram capturados pela sonda Insight, que detectou uma série de vibrações causadas no interior do planeta.
 
Pousado em Marte desde setembro de 2018, a Sonda Insight Mars conseguiu ouvir leve vento em dezembro e captou pequenos ruídos em abril, entretanto, essa foi a primeira vez que a sonda captou sons de forte potência pelo seu sensível sismômetro, intitulado de Experimento Sísmico para Estrutura Interna (SEIS). Segundo especialistas, o “ouvido” dos sensores são sensíveis, capazes de captar uma brisa.
 
Em oitavo pouso em Marte da Nasa desde a sonda Mars Pathfinder em 1996 e o primeiro grande pouso desde 2012, quando o explorador Curiosity analisou as rochas em busca de sinais de vida, a sonda Insight Mars captou o que foi nomeado pelos cientistas como “martemotos”, abalos que se assemelham às terremotos do planeta Terra. Para a agência, a crosta marciana pode ser formada por algo similar ao que seria uma mistura da Terra com a Lua, por apresentar características similares nas movimentações sísmicas dos dois corpos celestes.
 
Após a captação do som, a expectativa dos pesquisadores são o aprofundamento dos estudos, a fim de compreenderem como as ondas sísmicas desses eventos se movem pelo interior do planeta, para entender a estrutura marciana em seu interior.
 
Diferente do propósito do Curiosity, a Insight não foi construída para detectar traços de vida em Marte. Os planos para isso por parte da Nasa estão no planejamento de robôs, como o previsto para partida em 2020, com intuito de coletar rochas que possam conter evidências da antiga vida do planeta.
 
Os “martemotos” originalmente tem uma frequência abaixo da audição humana, por isso, para o público poder ouvi-los, os áudios divulgados foram alterados para a amplificação do som.
 
https://www.youtube.com/watch?v=RQR6PjOIlyU
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »