18/03/2020 às 11h44min - Atualizada em 18/03/2020 às 11h44min

Países da América do Sul buscam formas de evitar propagação do coronavírus

Fechamento de fronteiras é uma das medidas

Por Isabela Tavares - Editado por Luana Gama
Annegret Hilse/Reuters



Diante da pandemia do novo coronavírus, países da América do Sul estão tomando providências drásticas para evitar o aumento no número de contágios nesses territórios. No Brasil, país que conta com 350 casos confirmados e uma morte, segundo boletim divulgado pelas secretarias estaduais de Saúde nesta quarta-feira (18), aulas de colégios públicos, particulares e faculdades de vários estados e visitas em presídios de todo o país estão suspensas por 15 dias. E, na terça-feira (17) o presidente Jair Bolsonaro anunciou que vai fechar a fronteira com a Venezuela. Nos aeroportos, os voos da compahia áerea American Airlines estão suspensos até 6 de maio. O Governo Federal também suspendeu eventos públicos por 30 dias, independente do número de pessoas. 

 

A Argentina, primeiro país da América do Sul a registrar um óbito pelo vírus, resolveu fechar as fronteiras por 15 dias, incluindo com o Brasil. Outra medida adotada pelo país foi a suspensão das aulas por duas semanas. Até hoje o dia 16 de março, o país soma 56 infectados e duas mortes confirmadas. No Paraguai são 7 pessoas com o vírus e o país está barrando brasileiros na fronteira conhecida como Ponte da Amizade. Já na Bolívia, com 11 casos confirmados, o governo declarou “emergência nacional” e também suspendeu as aulas até o dia 31 de março. A entrada de estrangeiros de países da Ásia, Itália e Espanha também será barrada, além de proibir todos os voos para a Europa. Apesar de ainda não ter fechado as fronteiras, o Ministério do Interior vai mandar mais de 10 mil policiais para lá e para os aeroportos a fim de impedir que pessoas infectadas entrem no país.

 

A Colômbia que até a última segunda-feira (15)  havia confirmado 34 casos, também proibiu a entrada de estrangeiros, exceto cidadãos colombianos e residentes, cancelou o desembarque o desembarque de cruzeiros e eventos com mais de 500 pessoas. Na Venezuela está suspensa a chegada de voos da Europa, Colômbia, República Dominicana e Panamá. O presidente do país, Nicolás Maduro, decretou “emergência permanente” na área da saúde.

 

O Chile confirmou 75 casos e pessoas que chegam de países onde o risco de contágio está maior, estão em quarentena. O presidente Sebastián Piñera proibiu eventos com mais de 500 pessoas e também decretou o fechamento das fronteiras. As medidas para contenção do vírus também chegou ao futebol. A Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol) suspendeu os jogos da Copa Libertadores da América por tempo indeterminado para evitar aglomeração nos estádios. 

 

Vale ressaltar que o COVID-19 é um vírus de fácil propagação, transmitido pelo ar e também pelo contato com pessoas infectadas por meio do beijo, aperto de mão, tosse, espirro, etc. Atualmente, diversos países, incluindo o Brasil, estão em busca da vacina contra o coronavírus e a ideia é que ela comece a ser testada em animais nos próximos meses.

 

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »