22/10/2020 às 21h41min - Atualizada em 22/10/2020 às 21h31min

Mascote como ponto de droga

Maconha foi encontrada no Leão do Proerd, programa antidrogas da Polícia Civil.

Lorenzo Rivero - Editor: Ronerson Pinheiro
Reprodução - Polícia Civil
Uma ocorrência inusitada chamou a atenção de policiais civis, da cidade de Cunha Porã, Região Oeste de Santa Catarina. Mascotes do Programa Educacional de Resistência às Drogas e a Violência (Proerd), foram apreendidos com porções de maconha dentro deles. Os entorpecentes foram localizados durante a Operação Rescaldo, que visa combater o tráfico de drogas no município. Quatro pessoas foram presas, e a droga mais os mascotes foram apreendidos. Segundo a polícia, o material estava na parte de trás dos personagens. A quantidade apreendida não foi revelada. Alguns dos mascotes são entregues no decorrer da formação de novas turmas da Polícia Militar, que lamentou o ocorrido.

Segundo o Delegado João Luiz Miotto, os suspeitos guardavam uma pequena quantidade da droga entre os mesmos afim de evitarem serem responsabilizados. As identidades dos presos não foram reveladas. As informações são do site G1, Santa Catarina.

Esconderijos dos traficantes

Os esconderijos usados pelos traficantes são dos mais variados e inovadores possíveis. Segundo dados da Secretaria de Estado de Segurança Pública do Mato Grosso (SESP-MT), foram apreendidos 1.560 celulares, 7.329 chips e 152 carregadores dentro dos presídios em 2019.

Uma pesquisa feita pelo Portal Livre, junto aos Agentes Penitenciários, elegeram alguns dos esconderijos mais inusitados utilizados pelos presos dentro das cadeias. São eles: bolsa de colostomia, próteses dentárias e até entrega aérea como auxílio de drones. Nenhum objeto do mais ao menos conhecido estão livres de se tornarem transportes ou esconderijos de drogas para traficantes.


Editora-chefe: Lavínia Carvalho
 
 
 

 
 
 
 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »