12/02/2022 às 19h51min - Atualizada em 12/02/2022 às 19h48min

Kannemann elogia Geromel e destaca sua passagem pelo Grêmio

Em entrevista para Duda Garbi, zagueiro diz que teve sintonia com parceiro de zaga e diz que arbitragem de vídeo ajuda se é usada 'sem distinção'

Lidia Veronica Tedesco dos Reis - labdicasjornalismo.com
Geromel em ação pelo Grêmio. Foto: Site Acritica.net

No dia 07 de fevereiro foi ao ar uma entrevista a Walter Kannemann, zagueiro do Grêmio, realizada pelo jornalista Duda Garbi, para um programa em seu canal do youtube “Um assado para…”, a proposta do quadro é uma conversa mais descontraída e sem muito protocolo.

O zagueiro argentino chegou ao Grêmio no ano de 2016 em um cenário onde não haviam muitos “gringos” no time gaúcho, o então técnico Roger Machado não deu muitas oportunidades ao jogador, só a partir da chegada de Renato Portaluppi que ele se tornou titular, sendo um dos principais jogadores do titulo da Libertadores de 2017.

Kannemann fala sobre sua lesão no quadril, síndrome do impacto femoro-acetabular. Segundo o jogador, essa lesão estava lhe incomodando durante dois anos, porém no último ano (2021) foi se agravando fazendo com que precisasse ficar fora de alguns jogos da temporada devido a dor intensa que sentia, a previsão recuperação é de 3 à 4 meses, o que provavelmente irá deixá-lo fora de campo durante todo o campeonato gaúcho de 2022. 


O jogador também fala um pouco sobre o trágico ano que o Grêmio teve, em que foi eliminado de todas as competições de forma precoce, e no Campeonato Brasileiro foi rebaixado para a segunda divisão. Kannemann faz uma análise de como deverá ser o ano do time “um ano ruim claramente, tem os anos bons, muito bons e teve um ano muito ruim, que tem que enfrentar pela frente, e cada um sabe as coisas que se deve melhorar neste ano é só olhar para frente, analisar minimamente tudo que passou para não voltar a repetir o erro, e levar o Grêmio de volta aonde merece”.

Muito foi falado dos jogadores que iriam permanecer ou não no time depois do rebaixamento, um dos nome que foi muito comentado era Walter Kannemann, que não iria permanecer pois não jogaria uma série B. “E
u vou jogar… tenho muitos colegas que jogam a série B e eu respeito todos os times, não tenho problema com jogo se for um Mundial de Clubes, um Gauchão ou o que seja, sempre respeitando o rival, e o Grêmio sempre me deu muitas coisas, para mim e para minha família então eu vou tratar de ser recíproco”.  

Em um momento mais descontraído o “gringo” fala sobre um churrasco que o Edilson, ex-jogador do Grêmio, lhe convidou. Esse episódio aconteceu ápos o titulo da Copa do Brasil de 2016, um churrasco mais em familia, mas o mais impressionante foi o local do churrasco, a rua. Ele também comenta sobre programas que assiste em suas horas livres e confessou ser fã de discovery home & health, o zagueiro também gosta de assistir séries, além também de não gostar de programas esportivos, apesar de assistir aos jogos da Seleção Argentina.

Kannemann começou no futebol jogando em quadras. Já aos oito anos passou em um teste no clube argentino San Lorenzo, clube em que permaneceu no clube até seus 23 anos. Começou como lateral-esquerdo e depois migrou para o lado direita. Tornou-se zagueiro quando atuou no Atlas, do México, em 2016 foi contratado pelo Grêmio. E logo em sua chegada já ajudou a conquistar o título da Copa do Brasil do mesmo ano e quebrou um jejum do clube de 15 anos sem títulos. Ele também relembra um pouco das comemorações do título pela ansiedade pela conquista de um torneio e considera esta taça mais importante que a Libertadores do ano seguinte. 

Sobre Geromel, seu companheiro de zaga, ele cita que o motivo de se acertarem tanto em campo, e fora dele, eles se complementam e pelo companheiro estar sempre disposto ajuda para a sintonia da dupla. 

No último grenal, do Brasileirão de 2021, em que o Internacional saiu vitorioso com um placar de 1x0, alguns jogadores entraram em campo com caixões em alusão a má fase do tricolor, o que gerou uma confusão dentro de campo entre jogadores colorados e tricolores. Kannemann em sua interpretação disse “quando tu ganha comemora do jeito que quiser podendo chegar ao limite que quiser, depois quando perde chega ao nível que você chegou antes”. 


Em encerramento, o argentino fala sobre a utilização do VAR, que em sua visão ajuda muito e é de grande importância, porém se usado da maneira certa para os dois times, sem distinção. O zagueiro considera também que o sistema está melhorando, embora ainda exista alguns erros, porém está melhorando. Jogador também cita que as regras muitas vezes não está clara e depende da interpretação. 

 
Curiosidade: O jornalista Duda Garbi é admirador do futebol do zagueiro e, de quebra, muito gremista. Durante a entrevista, ele mostrou uma parede que tem em sua casa totalmente dedicada ao clube, com diversas fotos e montagens de momentos históricos das glórias do tricolor. Em uma imagem ele mostra Kannemann e seu companheiro de zaga, Pedro Geromel, considerados por muitos gremistas a melhor zaga que já se teve no time. O jornalista até brinca que pelo fato de ter a fotografia em sua casa ela está muito bem protegida.

escporte.gremio.br
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »