08/11/2020 às 09h10min - Atualizada em 08/11/2020 às 09h49min

Sangue De Zeus, animação baseada na mitologia da Grécia surpreende positivamente

Nova animação da Netflix é uma grata surpresa no serviço de Streaming

Leonardo Oliveira - Editado por Fernanda Simplicio
Fonte: Netflix / Reprodução: Google

Nova animação adulta da Netflix, Sangue de Zeus conta a história de um plebeu que vive na Grécia antiga e que descobre que ele é filho de Zeus, ele descobre que seu propósito é salvar o mundo de um exército demoníaco. Criada por Charley e Vlas Parlapanides para a Netflix, a série é produzida pela Powerhouse Animation Studios que também produziu Castlevania (2017) para o próprio serviço de streaming, a animação foi lançada em 27 de outubro na plataforma.




A história começa quando dois demônios fogem da amazona Alexia, que os persegue até uma cidade onde se deparam com o Semideus Heron, filho de Zeus com a Rainha de Coríntios. Hera furiosa por ter sido traída por Zeus, manda perseguirem o Semideus. A dupla de roteiristas da animação são gregos e já trabalharam com o universo da mitologia grega antes no filme Immortals (2011), estrelado pelo astro Henry Cavill, eles também são responsáveis pelo roteiro do filme Death Note (2017) da Netflix.

Apesar de seus trabalhos anteriores não terem sido bem recebidos pelo público e pela crítica e terem o desafio de fazer uma boa adaptação para as telas do universo grego, a dupla conseguiu acertar em cheio em Sangue de Zeus, a animação consegue contar sua história sem pressa, dando tempo para desenvolver os personagens principais e todos que aparecem nela.

Principalmente Heron que é o herói e o vilão Seraphim, a série consegue transmitir muito bem as motivações de cada um e desenvolver bem momentos de tensão, atiçando a curiosidade do telespectador pelo que vem a seguir em cada um dos seus oito episódios. No entanto, ao chegar no último episódio o ritmo da animação é acelerado, fazendo sentir que poderia ter mais um ou dois episódios para a conclusão do arco e melhor desenvolvimento de alguns personagens.

A animação conta com lindos traços, é visualmente muito bem feita e fluída, contando com cenas de ação impressionantes que levam ao nível épico, ela também conta com bastante violência visual e é bem chocante, acompanhada de uma trilha épica e orquestral, lembrando bastante o jogo eletrônico God of War.

Alguns deuses que participam da animação mereciam mais destaque e possuem pouco tempo de tela, é compreensível por que a duração dos episódios dura em torno de 20 a 30 minutos, porém alguns aparecem e sequer tem um momento de fala, seria interessante se pelo menos na primeira aparição mostrasse o nome do personagem, para que o telespectador não se perca com tantos personagens.No entanto, a animação consegue dar um bom destaque para o Zeus, frequentemente retratado como o vilão de histórias gregas, aqui ele tenta ser o melhor que ele pode para agradar tanto os deuses quanto os humanos, e esse contraste é bem interessante de se ver.

A primeira temporada da animação consegue iniciar e encerrar o arco principal e ainda dar um vislumbre do que podemos esperar em uma possível segunda temporada, sendo uma excelente pedida para quem gosta de maratonar ou assistir um ou dois episódios por dia, Sangue de Zeus consegue ser um prato cheio para quem gosta do universo da antiga Grécia e merece ser assistida. Resta a Netflix renovar a animação para que possamos aproveitar mais do universo grego animado que ficou fantástico e muito bem representado na animação.


Referências:
Nunes. G. Sangue de Zeus: Primeira temporada crítica. Multiverso Mais,  29 de out. 2020. Disponível em: <
https://multiversomais.com/series/sangue-de-zeus-primeira-temporada-critica/> Acesso em: 06 de nov. 2020. 

Netflix. Sangue de Zeus,  27 de out. 2020. Disponível em: https://www.netflix.com/br/title/81001988?source=35>. Acesso em 06 de nov. 2020.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »