03/12/2020 às 19h58min - Atualizada em 03/12/2020 às 19h55min

Inteligência Artificial é desenvolvida para detectar pessoas com Covid-19

O objetivo é desenvolver um aplicativo que possa ser usados em celulares e que ajude na identificação de casos assintomáticos

Repórter: Cinthia Resende - Edição: Luana Gama
Getty Images
Um estudo, publicado no fim de setembro pelo Journal of Engieneering in Medicine and Biology, mostra que o Instituto de Tecnologia de Massachustts o (MIT), nos Estados Unidos, desenvolveu uma tecnologia capaz de detectar pessoas com o novo coronavírus por meio do som da tosse e da fala. Os testes foram positivos em 98,5% dos casos.

O estudo começou em abril de 2020, e contou com a ajuda de três cientistas para a criação do algoritmo. Os pesquisadores desenvolveram a inteligência artificial a partir de pesquisas feitas com cerca de 70 mil pessoas que já haviam se infectado com o vírus e outras que nunca contraíram a doença. A tosse e a fala dessas pessoas foram gravadas em áudio e enviadas para o algoritmo que encontrou, com precisão, 98,5% dos infectados. Assim, foi possível perceber diferenças em comparação a tosse de pessoas não infectadas."A maneira como produzimos o som muda quando temos Covid-19, mesmo se formos assintomáticos", explicou o pesquisador Brian Subirana, um dos autores do estudo.

O algoritmo poderá ser usado, principalmente, em casos de pessoas assintomáticas, já que por mais imperceptíveis que esses pacientes possam parecer, ainda sim, eles apresentam alterações que serão identificadas pela inteligência artificial."Pessoas assintomáticas podem diferir de indivíduos saudáveis ​​na maneira como tossem...essas diferenças não são decifráveis ​​para o ouvido humano. Mas acontece que podem ser detectadas pela inteligência artificial", dizem os cientistas.

O propósito é que, assim que aprovado e regulamentado, o algoritmo possa ser usado como um aplicativo para celular. Contudo, é importante frisar que a IA não será utilizada como ferramenta formal de diagnóstico, mas sim, como um indicativo de possíveis casos que deverão procurar ajuda médica.O aplicativo servirá "para triagem diária de estudantes, trabalhadores e do público, nas escolas, trabalho e transportes. Ou até para testes em piscinas para alertar rapidamente e evitar surtos em grupos", concluem os investigadores.
 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »