26/02/2021 às 17h10min - Atualizada em 26/02/2021 às 17h05min

Ressaca literária: como recuperar o hábito de leitura?

Conheça a “teoria dos 21 dias” que pode ajudar a curar esse bloqueio literário

Por Giulia Monteiro - Editado por Andrieli Torres
Foto: Reprodução/Google
Muitos leitores já chegaram naquela fase de se sentirem travados, não conseguirem terminar um livro, ou, ao menos, continuarem alguma leitura. Estavam acostumados a ler um ou dois exemplares por semana e aí... nada. Eu mesma já passei. Esse período de hiato aconteceu comigo logo depois que terminei, pela primeira vez, a saga “Fazendo meu filme”, da escritora Paula Pimenta. E, como uma boa fã de livros de amorzinho, veio a se tornar a minha favorita.

Essa fase conhecida como ressaca literária, é bem comum. ‘Especialistas em livros’ acreditam que ela aconteça quando você termina uma obra muito boa, com uma história tão incrível que sua mente não quer mais sair daquele universo literário, podendo dar uma sensação de vazio no leitor. Contudo, existem algumas dicas que podem ajudar a acabar com esse período, e uma delas é a teoria dos 21 dias.

Essa teoria teve início em meados da década de 1960. Foi formulada primeiramente pelo cirurgião plástico americano Maxwell Maltz (1899-1975), em sua obra “Psicocibernética”. Nela, o doutor destaca um padrão de comportamento comum entre seus pacientes. Eles levavam, em média 21 dias para perceberem as mudanças em seus corpos após um procedimento cirúrgico. Também era o tempo estimado para se adaptarem à sua nova imagem.

Formado em medicina pela Columbia University, Maltz foi o desenvolvedor da psicocibernética, um sistema com a finalidade de melhorar a autoimagem e a autoconfiança das pessoas, de maneira a seguir uma vida de maior qualidade. Essa ciência foi o ponto alto da carreira do cirurgião estadunidense, podendo ser considerada como um ramo da psicologia, por tentar compreender melhor a mente humana.

A teoria dos 21 dias pode ser aplicada em diversas áreas da vida, já que, de acordo com ela, é o tempo que o cérebro passa a interpretar um hábito como padrão, de forma a se tornar algo natural e de rotina. Ou seja, na prática, se um leitor insiste em ler todos os dias por um tempo determinado, podendo ser vinte minutos ou uma hora, sem desistir, após os primeiros 21 dias pode se tornar mais fácil e automático.

O estudante de engenharia Felipe Villas Boas comenta sobre sua experiência com a teoria. “Quando eu voltei a estudar, tinha uns três anos que eu não tinha algum hábito de estudo. Eu estava lendo um livro, o ‘Poder do Hábito’, que menciona essa teoria. Aí eu li sobre o tema e resolvi testar. Durante 21 dias eu estudei duas horas por dia, para tentar voltar ao hábito de estudo diário. Depois desse tempo eu fui aumentando gradativamente e consegui me acostumar.”

Estudos feitos pela University College London afirmam que a eficiência dessa teoria se baseia na criação de um prazo. Contudo, uma pesquisa publicada no Jornal Europeu de Psicologia Social, em 2009, diz que para um novo hábito ser criado e tratado como natural pode demorar de 18 a 255 dias. Ou seja, a verdade é que esse tempo de 21 dias é apenas um prazo estipulado, já que existem diversas variantes que podem afetar esse processo, como o estilo de vida da pessoa, de qual hábito ela quer seguir, seu comprometimento, etc.

De acordo com a médica e psicóloga Cristiane Araújo Gonçalves, essa teoria vem sendo utilizada de forma um pouco equivocada. “Ocorre que a visão psicanalítica se opõe veemente às terapias cognitivo-comportamentais, haja vista que os sujeitos são muito mais que seus comportamentos e, em última instância, o inconsciente se manifesta através de sonhos, atos falhos, chistes, doenças e na análise propriamente dita. Parece confuso, mas olhar para além das aparências e superficialidade é papel do psicólogo, psicanalista e, sobretudo, de quaisquer profissionais de saúde e Saúde Mental.”

Outras dicas que podem ajudar na tentativa de recuperar o hábito da leitura também são compartilhadas entre os leitores. Ler o livro favorito ou alguma obra não lida de um autor que goste muito pode ajudar. Contos ou crônicas curtas também tem o potencial de curar a ressaca literária. O importante é entender que é preciso força de vontade para que mudanças aconteçam em qualquer âmbito da vida. Não existe nenhuma receita milagrosa, cada pessoa tem seu próprio tempo e precisa aprender a respeitá-lo.

 

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »