11/04/2021 às 10h07min - Atualizada em 11/04/2021 às 09h46min

Duas pesquisas encontram sinais otimistas na vacinação de grávidas contra covid-19

Por mais que sejam preliminares esses estudos trazem informações alentadoras

Marina Miano Cardoso - Editado por Maria Paula Ramos
Dois estudos israelenses mostram que vacinação de grávidas contra covid-19 pode passar anticorpos para os bebês, embora ainda sejam preliminares. Créditos: Ministério da Saúde / Reprodução: IstoÉ Dinheiro

Mesmo com todas as notícias difíceis que recebemos de novas variantes, falta de leitos de UTI, risco de não ter mais medicamentos para intubação, entre outras. Às vezes surgem algumas animadoras. 

 

A vacinação contra covid-19 ainda está a passos lentos, alguns grupos como crianças, grávidas, jovens e adultos estão distantes de receber a imunização. 

 

Dois estudos preliminares, que ainda necessitam de mais dados, serem avaliados por seus pares e não podem ser usados, por enquanto, para orientar a prática clínica, nos trazem informações otimistas. O primeiro desenvolvido em Israel detectou que 20 mulheres grávidas que receberam as duas doses da vacina Pfizer/BioNTech no período de terceiro mês de gestação, foram entrados os anticorpos nos bebês recém-nascidos por meio de transferência placentária. 

 

A segunda pesquisa, também de Israel, mostrou resultados positivos nas lactantes (mães que amamentam) de produção de anticorpos no leite materno. Contudo, esse estudo foi realizado a partir da aplicação das vacinas Pfizer e Moderna, não com a CoronaVac e AstraZeneca que são usadas em território nacional. Portanto, as mesmas conclusões não podem ser consideradas para todas as vacinas, pois são produzidas com tecnologias diferentes. 

 

Por que mulheres grávidas não fazem parte do grupo prioritário? 

 

Quando se inicia o teste de vacinas em humanos, depois de passar por todas as etapas até chegar a esta, sempre se busca por indivíduos saudáveis, sem alergias graves, que tenham o menor número de variáveis possíveis para não interferir no desenvolvimento do estudo. Após a aprovação de sua eficácia começa-se a pensar nos mais vulneráveis. “Gestantes e crianças são grupos que exigem maior investigação por mostrarem uma certa fragilidade pela especificidade do momento. Estudos recentes já mostraram não só segurança, mas também eficácia nos bebês recém-nascidos, porém, ainda com um volume baixo de pesquisa e voluntários ”, explica a médica obstetra Mariana Valdrighi. 

 

As grávidas que fazem parte do grupo prioritário, como as profissionais de saúde, por exemplo, estão sendo orientadas a terem cautela para se vacinar neste momento. Segundo a Dra. Mariana a orientação é observar cada caso individualmente e só receber a imunização sob orientação médica. 

 

“Já sabemos que a gestação e a amamentação são momentos que a mulher passa anticorpos adquiridos durante sua vida e no período que está grávida. Comprovada a eficácia e a segurança, as mulheres terão provavelmente a vacina para covid-19 no seu calendário durante a gestação, assim como já temos a dtpa (para difteria, tétano e coqueluche), a hepatite b e a gripe”, diz Mariana. 

 

Por isso que esses estudos, mesmo que preliminares, mostram uma luz no fim do túnel, e ainda temos muito o que aprender tanto do coronavírus quanto do efetivo dos seus imunizantes. “Acredito que ainda vamos descobrir muito mais sobre a relação mãe-bebe, principalmente neste momento de pandemia o qual buscamos cada vez mais entender como diferentes grupos passam por essa doença e como evoluem”, finaliza a médica obstetra Mariana. 

REFERÊNCIAS:

BBC.
Covid-19: Os sinais otimistas da segurança das vacinas em crianças, grávidas e mães que amamentam. BBC News Brasil. 21 de mar. 2021. Disponível em: <https://g1.globo.com/bemestar/vacina/noticia/2021/03/21/covid-19-os-sinais-otimistas-da-seguranca-das-vacinas-em-criancas-gravidas-e-maes-que-amamentam.ghtml> Acesso em: 01 de abril. 2021. 

HELLER, Jeffrey. Vacinação de grávidas contra covid-19 pode proteger bebês. Agência Brasil. 17 de mar. 2021. Disponível em: <
https://agenciabrasil.ebc.com.br/internacional/noticia/2021-03/vacinacao-de-gravidas-contra-covid-19-pode-proteger-bebes#:~:text=%22Nossas%20descobertas%20ressaltam%20que%20a,2%22%2C%20diz%20o%20estudo> Acesso em: 01 de abril. 2021. 
 


https://www.istoedinheiro.com.br/inedito-gravida-toma-vacina-e-bebe-nasce-com-anticorpos-contra-covid-19/
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »