24/06/2021 às 20h14min - Atualizada em 24/06/2021 às 19h34min

Estilo Y2K traz de volta polêmica moda dos anos 2000

Em entrevista, a estilista Paloma Quadros afirma que cores e modelagens divertidas marcam essa tendência que está voltando

Giovanna Bassi - Editado por Larissa Barros
A moda é extremamente cíclica, já que diversas tendências vão e voltam sem parar com peças marcantes de diversas épocas. As tendências vistas nos últimos anos refletiam a moda dos anos 70 e 80, com looks de mangas bufantes, ombreiras e cores neons. Agora é a vez da “Y2K”, moda que marcou o final dos anos 90 e começo dos anos 2000, a qual volta sutilmente a ter evidência nas ruas, redes sociais e passarelas do mundo todo.
 
A abreviatura Y2K significa “ano 2000” (year two thousand) e se refere a um bug nos computadores na virada de 1999 para 2000, já que os aparelhos da época não entenderam a mudança de ano e acabaram causando uma pane geral nos sistemas. Isso refletiu na mídia e na moda, pois diversas peças começaram a ter um toque mais esporte-urbano-futurista.
 
Essa estética voltou para os dias atuais por diversos fatores. Em entrevista à nossa reportagem, a estilista gaúcha com mais de 11 mil seguidores no Instagram, Paloma Quadros, ressalta que a pandemia de covid-19 trouxe uma reflexão sobre a importância de liberdade e também transformou as pessoas em mais nostálgicas, focando na valorização dos momentos em que todos tinham total alegria e diversão.
 

“Reviver experiências comportamentais e de vestuário que nos faz voltar no tempo para uma época em que nos sentíamos confortáveis e no auge da adolescência, é algo incrível e que nos traz segurança. Hoje apegar-se no passado, no conforto de peças que pautam essa tendência, em minha opinião, nada mais é do que voltar à segurança de um lugar e uma época em que éramos realmente felizes. A tecnologia vem de encontro a essa tendência e grandes marcas se apropriam dessa onda para se fortalecerem nos seus propósitos (metamorfose, esperança, cores, alegria e libertação)”, diz Paloma.

Por conta dos momentos difíceis de pandemia, há essa tendência do escapismo, uma busca por coisas que fazem bem e a nostalgia acaba sendo um caminho para isso. Filmes e séries como Meninas Malvadas, As Patricinhas de Beverly Hills, Legalmente Loira, Friends, Gilmore Girls, Lizzie Mcguire e As Visões da Raven, até mesmo famosos voltando à tona como Sandy & Junior, Britney Spears, Paris Hilton e Christina Aguilera, também colaboram e muito para o retorno dessa estética. Assim como as plataformas de vídeos e fotos, como o TikTok e o Instagram.
 
Para a publicitária e tiktoker de moda com mais de 122 mil seguidores, Manu Canielas, toda estética pode ser considerada vintage ou não, dependendo do contexto em que ela está inserida. De acordo com ela, a moda volta de uma forma diferente, mas sempre trazendo detalhes importantes das peças marcantes para os dias atuais.
 

“Agora a gente voltou para os anos 2000 e lá se usava muito as calças de cintura baixa, sendo assim, ela volta com essa estética em 2021, mas tem algumas alterações, como o cós que é mais alto e uma silhueta larga, ou seja, ela voltou diferente. Agora, se eu quiser usar exatamente igual à estética dos anos 2000, eu pego uma peça de lá e daí ela passa a ser vintage”, explica a tiktoker.

 

Outros itens que estão se reinserindo na moda além da cintura baixa, são as bolsas no geral, desde a Saddle Bag, famoso modelo da Dior, como também os modelos baguete da Fendi. A Prada não ficou fora dessa, principalmente com os seus lançamentos de náilon. Os conjuntos de veludo Juicy Couture que eram febre entre as famosas na época, também estão voltando com tudo, juntamente com os acessórios de borboletas, miçangas coloridas e muito brilho. Na área da beleza não está sendo diferente, pois a Lacôme lançou novamente os Juicy Tubes, um tipo de gloss que era marca registrada dos anos 2000.


Desde as marcas de luxo até as fast fashion pôde-se notar grandes traços da estética Y2K em suas passarelas e vitrines, prometendo que ela pode ficar por bastante tempo. Entretanto, ninguém pode afirmar isso categoricamente, visto que durante a pandemia houve a aceleração de tudo e na moda não foi diferente.
 

“A gente acelerou muita coisa no mundo da moda, passamos a comprar e gravar muito mais vídeos, tirar muito mais fotos, então passamos a ver mais essa estética. Talvez alguma coisa que a gente fosse demorar mais tempo para ver, voltou rapidamente. Um exemplo disso é a saia college, ela voltou muito rápido e chegamos até a enjoar dela, porque estava todo mundo usando no nosso feed. Acredito que não tem haver com a volta da década em si, mas como a gente passa a enxergar ela”, destaca Manu.

 
Agora o que nos resta é aproveitar essa estética tão divertida e nos preparar para as que virão, pois a moda é feita de ciclos e isso que tem mais de belo nela.
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »