11/10/2021 às 16h32min - Atualizada em 08/10/2021 às 18h07min

BepiColombo: a espaçonave chega à Mercúrio e realiza primeiros registros

A espaçonave BepiColombo entra na órbita de Mercúrio e registra as primeiras imagens do planeta.

Clara Beatriz Ferreira - Editado por Manoel Paulo
(Foto: Reprodução/ ESA/ATG MEDIALAB)

Na última sexta-feira, 1°, a BepiColombo chegou a Mercúrio e fez os seus primeiros registros do planeta. A sonda conhecida como BepiColombo é resultado de uma parceria entre a Agência Espacial Europeia (ESA) e a japonesa JAXA, e foi lançada em 2018 com destino a Mercúrio, fez sua primeira aproximação do pequeno planeta apenas neste ano.

O sobrevoo rendeu também as primeiras fotos, que permitem identificar algumas estruturas geológicas como crateras de impacto na superfície de Mercúrio. Para melhores esclarecimentos sobre a formação e evolução do primeiro e menor planeta do Sistema Solar, os cientistas pretendem aprofundar seus estudos e análises em futuras missões.



O primeiro registro do planeta na missão foi realizado por uma câmera de monitoramento localizada na parte externa da sonda. Infelizmente, devido à proporção da estrutura atual da sonda, ainda não é possível equipá-la com câmeras científicas de alta resolução, e por esse motivo as imagens que foram retiradas são de baixa qualidade. Mas apesar da pouca resolução já é possível detectar algumas características da superfície do planeta.
 
A BepiColombo é composta por uma estrutura dupla, ou seja, duas espaçonaves em uma.


 

"O sobrevoo foi impecável do ponto de vista da espaçonave, e é incrível finalmente ver nosso planeta-alvo” declarou Elsa Montagon, gerente de operações da nave espacial para a missão.

Embora a Bepi esteja muito longe de iniciar as operações científicas adequadas, alguns dos instrumentos da sonda foram ligados para realizar o sobrevoo. Fenômenos como campos magnéticos e algumas partículas já puderam ser detectados, mesmo na configuração atual da espaçonave.


"Eventualmente, até dezembro de 2025, tanto a espaçonave quanto Mercúrio estarão no mesmo lugar e na mesma direção. A partir daí, finalmente, poderemos separar nossa espaçonave em duas partes e entrar em órbita", disse a cientista que integra a missão à BBC.
 
As duas estruturas da espaçonave vão se separar quando entrarem em órbita no planeta mais interno do Sistema Solar. A partir dali elas desempenharão funções diferentes. O Mercury Planetary Orbiter (MPO), da Europa, foi projetado para mapear o terreno de Mercúrio, gerar perfis de altura da superfície, coletar dados sobre a estrutura e a composição do planeta e detectar o que há no interior dele.


Os controladores planejam mais cinco sobrevoos, e querem usar cada vez mais a força da gravidade de Mercúrio para ajudar a controlar a velocidade da espaçonave. A ESA ainda afirma que a principal missão científica da BepiColombo começará no início de 2026. A sonda fará uso de nove voos planetários no total: um na Terra, dois em Vênus e seis em Mercúrio, junto com o sistema de propulsão elétrica solar da espaçonave, para ajudar a orientar para a órbita de Mercúrio. A previsão da próxima passagem por Mercúrio é estimada para 23 de junho de 2022.

 
BepiColombo investigará diversos temas para ajudar os cientistas e pesquisadores a entender o planeta de maneira mais completa. Com base nos dados coletados pela missão Mensageiro da NASA, a Bepi poderá responder a questionamentos sobre as substâncias voláteis, atividades vulcânicas anteriormente presentes no planeta e seu campo magnético.

“Além das imagens que obtivemos das câmeras de monitoramento, também operamos vários instrumentos científicos no Mercury Planetary Orbiter e no Mercury Magnetospheric Orbiter,” acrescenta Johannes Benkhoff, cientista do projeto BepiColombo da ESA. “Estou realmente ansioso para ver esses resultados. Foi um turno noturno fantástico, com um trabalho de equipe fabuloso e muitos rostos felizes” finaliza.


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »