19/03/2022 às 01h13min - Atualizada em 19/03/2022 às 00h51min

PFW: Os desfiles que mais se destacaram na temporada de Outono/Inverno 2022

Um resumo das coleções que mais se destacaram na semana de moda de Paris

Maria Eduarda Soldera - Editado por Flávia Pereira
Foto: Valentino | Reprodução/Instagram (@maisonvalentino)

A temporada de lançamentos para o Outono/Inverno 2022 das maiores semanas de moda chega ao seu último destino: Paris. A capital francesa recebeu 45 desfiles presenciais e mais algumas apresentações digitais. Entre as principais apresentações está a última coleção de Virgil Abloh para a Off-White e o protesto de Demna Gvasalia, diretor criativo da Balenciaga, contra a invasão russa na Ucrânia. Confira abaixo uma análise das principais apresentações do evento, que ocorreu entre os dias 28 de fevereiro e 8 de março.

 

Off-White
 

O desfile de Outono/Inverno 2022 foi um tributo ao fundador da marca, Virgil Abloh, que morreu de forma repentina em novembro do ano passado. Nomeada “Spaceship Earth, an imaginary experience”, essa é a última coleção assinada pelo designer. A apresentação foi dividida em dois atos: ready-to-wear e “High Fashion”. O primeiro focou no famoso streetwear da marca, que foi combinado com peças de alfaiataria. Entre os looks estavam jaquetas puffer combinadas com vestidos de cetim, calças cargo e jaquetas de couro, casacos de pelo volumosos, vestidos e saias combinadas com tênis, suéteres com recortes e jaquetas de ski. O segundo ato foi composto por looks com a pegada do streetwear da Off-White mas que flertam com os códigos da alta-costura. Bella Hadid abriu o ato vestida de noiva, usando tênis e com saltos na mão, Kendall Jenner usou uma reedição do “Little Black Dress” da coleção Pre-Fall de 2018, Cindy Crawford desfilou com uma combinação de camiseta, blazer cropped e uma saia plissada volumosa, a brasileira Carol Trentini roubou a cena com um vestido preto e branco de bolinhas combinado com luvas e chapéu. A coleção foi um emocionante tributo ao legado que Virgil Abloh deixa para a indústria da moda.



 

Saint Laurent
 

Anthony Vacarello apresentou uma coleção mais contida do que estamos acostumados a ver na marca, porém concisa, extremamente chique e que traz todo o primor da história da marca de volta às passarelas. A coleção, que foi produzida inteiramente em tons neutros, contou com uma alfaiataria perfeitamente precisa, com ombros e cinturas marcadas. Vestidos longos de gola alta com enormes pulseiras de prata, ouro e bronze, se destacaram junto com as saias de tecidos leves e casacos de couro. Porém o ponto-chave da coleção foram as peles fake e os clássicos smokings. Apesar de ser uma coleção minimalista, bem diferente do que vimos nas últimas temporadas da marca, ela se destaca por toda sua qualidade e elegância



 

Valentino
 

A Valentino de Pierpaolo Piccioli é reconhecida por sua paleta de cores vivas e diversificadas, mas para o Inverno 2022 o designer apostou em uma coleção inteiramente na cor rosa pink extremamente saturada - e com algumas interrupções de looks inteiramente pretos. Piccioli declarou que escolheu fazer uma coleção quase inteiramente monocromática para remover as distrações e concentrar a atenção dos espectadores nas diferentes silhuetas e nos detalhes das peças. Sem essa “distração” é mais fácil perceber os diferentes tipos de tecido, texturas, silhueta, técnicas e detalhes nos bordados e aplicações. As clássicas capas da maison estiveram presente, junto com luvas, casacos oversized, vestidos curtos e longos com diferentes silhuetas, peças de alfaiataria e macacões.


 

Balenciaga

 

Demna Gvasalia confessou que pensou em cancelar a apresentação de Inverno 2022 da Balenciaga após o início do conflito entre Rússia e Ucrânia: “Em um momento como esse a moda perde sua relevância. Pensei por um momento em cancelar o show, mas então percebi que cancelar esse show significaria ceder, me render ao mal que já me machuca há quase 30 anos.” Demna, que é natural de Geórgia, precisou fugir de seu país em 1993, quando tinha apenas 10 anos, por conta de uma guerra, e um dos primeiros refúgios de sua família foi em Odessa, na Ucrânia. A apresentação aconteceu dentro de uma redoma de vidro que continha uma simulação de tempestade de neve e vento extremamente realista, que fez com que os modelos caminhassem com certa dificuldade, inclinados contra a tempestade e carregando bolsas pesadas. O branco e preto dividiram espaço na coleção com alguns pontos de cor — principalmente com tons amarelados e azulados. Nas roupas, moletons e casacos oversized marcaram presença, junto com peças de tecido acolchoados, casacos de pelo, macacões de fita crepe e vestidos longos de tecidos leves que se movimentavam violentamente contra o vento. O desfile terminou com um conjunto de moletom amarelo e um vestido azul com uma longa cauda, finalizando seu tributo à população ucraniana com as cores da bandeira do país.


 

Miu Miu

 

Depois de ter encontrado a receita do sucesso com o famoso conjuntinho Miu Miu, apresentado na última temporada e que se tornou uma das imagens mais replicadas da moda atual, Miuccia Prada para manter o sucesso, faz o óbvio, e reinterpreta o modelo. A coleção de Inverno 22 começa exatamente onde o Verão 22 terminou, com muita pele à mostra, cintura baixa, mini saia e suéter cropped. Nesta temporada a mulher Miu Miu é menos workaholic e mais apaixonada por esportes — principalmente por tênis — essa mudança pode ser captada pelos conjuntos de saia branca com pegada esportiva, camisetas polo cropped, suéteres, casacos e blazers oversized. A Miu Miu, como outras marcas nesta temporada, adotou a proposta genderless nas peças, fazendo os looks, como o conjuntinho Miu Miu, transitarem entre os homens e as mulheres na passarela.



 

Chanel
 

Para essa temporada Virginie Viard, diretora criativa da maison, se inspirou nas áreas rurais da Escócia, onde Gabrielle Chanel passava suas férias nos anos 20 e na Inglaterra dos anos 60. A inspiração para a paleta de cores do desfile veio da paisagem do Rio Tweed na Escócia - dizem que durante suas caminhadas pelo local, Gabrielle Chanel reunia flores e folhas como referência para as cores que queria para os tecidos. A coleção foi praticamente toda confeccionada no clássico tweed da casa, desde as meias-calças, vestidos, bolsas, cardigãs, blazers, saias e jaquetas, até o cenário do desfile era feito de tweed. Virginie também apostou em silhuetas joviais que contrastam perfeitamente com a imagem senhoril do tecido.



 
 
 
 
 

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »