27/10/2020 às 17h16min - Atualizada em 27/10/2020 às 15h34min

O uso dos Óleos Essenciais, benefícios e cuidados

Como usar e os seus benefícios para o corpo e a mente

Flávia Alexandre - editado por Luhê Ramos
Veja Saúde - https://saude.abril.com.br/bem-estar/oleos-essenciais-usos-e-contraindicacoes/
Site do Bem
O uso de óleos essenciais vem crescendo exponencialmente entre pessoas de várias faixas etárias. Já existem médicos espalhados pelo mundo que prescrevem o uso de óleos essenciais como forma de tratamento preferencial para seus pacientes, para que diversas doenças do corpo e da mente sejam tratadas.

Mas calma lá, não pense que por serem substâncias naturais os óleos essenciais podem ser utilizados de qualquer maneira. Existe um profissional específico, denominado Aromaterapeuta, que irá fazer uma consulta e prescrever os óleos essenciais corretos e que executarão os efeitos necessários para você.

Essas substâncias naturais são destiladas das essências que as plantas produzem. Substâncias complexas, de poder volátil e fragrâncias variadas que são responsáveis pelos odores aromáticos que nelas encontramos.

Porém, talvez agora você esteja com algumas dúvidas a respeito dos óleos essenciais e de como essa "gotinhas mágicas" agem no nosso corpo. A aromaterapeuta Soraya Santos Xavier (53) formada pela UFBA em Farmácia, em Salvador, contou em entrevista como de fato o universo da aromaterapia funciona.

Sabe-se que os Óleos Essenciais fazem parte de uma terapia integrativa denominada Aromaterapia. Como funciona de fato essa prática?
R- A Aromaterapia, ela trabalha, como você falou, com os Óleos Essenciais, que são extraídos das plantas. Além do aroma, eles possuem um efeito terapêutico e esses efeitos são comprovados cientificamente através de inúmeros estudos. Então, pode-se encontrar um extenso material científico sobre o efeito desses Óleos Aromáticos e sobre os seus benefícios na saúde do corpo e da mente. Sendo assim, ele trabalha toda a parte física e toda a parte emocional.

Em qual parte do corpo os Óleos Essenciais atuam?
R- Eles atuam através do sistema límbico, que é um sistema que fica no centro do nosso cérebro e que é ativado através da inalação. Temos também a olfação, que é responsável por uma parte da inalação que vai para o pulmão.
No nosso nariz existem algumas "cerdazinhas" bem pequenas, que absorvem esses cheiros e os enviam para essa parte do cérebro, em específico para o Hipotálamo, que é responsável pelas sensações de humor, de prazer, de fome, de aprendizado, do sono... além disso, também atuam em toda a parte física, que é o nosso Sistema Respiratório, Sistema Circulatório, Sistema Genital, Sistema Uterino, Sistema Cardíaco, Pele, Músculo, em fim. 


Os Óleos Essenciais são compostos que tem como base da sua composição plantas medicinais. Por esse motivo, são considerados como uma alternativa de tratamento natural. Isso é mito ou verdade? Os óleos são totalmente naturais?
R- Bom, eu prefiro falar que os Óleos Essenciais são compostos que são extraídos de plantas aromáticas, porque elas precisam ter essas partículas aromáticas para que a gente extraia o Óleo Essencial. É uma substância 100% pura, porque ela é extraída através de algum solvente ou por vapor da planta, mas o Óleo Essencial quando ele é envazado, quando ele é utilizado ele "ta" ali puro, somente ele, só o que foi extraído. Por isso é muito difícil você extrair um volume grande. Normalmente, a depender da planta e da quantidade de óleo que ela tenha, é que se pode ver a quantidade de óleo que vai se extrair. Então, os óleos mais caros, como Rosa, Camomila e que chegam a custar 200 reais 2ml, 3ml, são óleos que precisam de uma quantidade muito maior de planta para que seja extraído. Enquanto uma laranja, por exemplo, ou eucalipto, eles precisam de uma quantidade menor e são produtos que tem um custo mais barato. Então a gente pode ter um custo-benefício melhor. Mas eu posso afirmar categoricamente que os óleos são totalmente naturais, e se não for assim, eles não são Óleos Essenciais. 

Em alguns lugares, é possível observar a venda de Essências e Óleos essenciais. Existe alguma diferença?
R- Essências são completamente diferentes de Óleos Essenciais. Essências, elas promovem cheiro. Óleos Essenciais são o cheiro, que é o aroma, e o efeito terapêutico. As essências têm em torno de dez substâncias químicas, que são imitações sintéticas dos cheiros verdadeiros, que são os dos Óleos Essenciais. Enquanto isso, os Óleos Essenciais têm mais de duas mil substâncias e cadeias diferentes de substâncias que vão fazer diferentes ações. Então, são coisas completamente diferentes e infelizmente existe essa coisa no mercado, das pessoas acharem que são o mesmo produto, por ser uma informação deturpada que alguns comerciantes colocam em Essências, para dizer que tem um custo melhor e menor, mas são produtos completamente diferentes.

Além da inalação, de que outros jeitos podem ser utilizados?
R- Além da inalação, que tem várias maneiras para se inalar, como por exemplo: abrir o frasquinho e cheirar, pingar na palma da mão e inalar, pingar no ambiente em que está (tipo no tapete, na água do banho), tem inalação seca que é quando a gente pode pingar uma gotinha, por exemplo, no travesseiro, na roupa, podemos passar próximo ao nariz... então dentro da inalação tem várias formas de se utilizar... também nos aromatizadores de ambiente, ou pelo ar frio (que é aquele ultrassônico). Tem o colar aromático que você pode colocar (normalmente é um material poroso que você pinga as gotinhas, pendura no pescoço e fica sentido e tendo aquele efeito) ou algum orifício que você coloque algum algodão ou um tecido felpudo que absorva o óleo e fica fazendo esse mesmo efeito. Então isso tudo vai para a inalação!
Fora isso tem a parte tópica, que a gente pode acrescentar nos cosméticos ou nos produtos que agente passe na pele, no cabelo, na unha... como por exemplo cremes, hidratantes, óleos de banho, shampoo, condicionador, máscaras... também pode colocar no soro fisiológico para fazer algum tipo de inalação. Também, pode ser usado em massagem, pode ser misturado com argila (que inclui aí a parte do uso tópico), então, tem todas essas outras formas de inalação e de utilização. 


Os Óleos podem ser substituídos por medicamentos sintéticos?
R- Essa pergunta eu responderia dessa forma: que pode e que não pode. Então, existem casos que sim e casos que não. Eles podem ser substituídos por remédios feitos em laboratórios (que são os sintéticos) desde que tenham a mesma função terapêutica e a pessoa faça opção por um tratamento mais natural e que exista também tempo para obter a resposta, porque os Óleos Essenciais, podem ter uma ação extremamente rápida e podem ter uma ação mais lenta, porque eles trabalham de uma forma mais íntima, mais eficaz, então eles vão mais afundo no problema e não somente em resolver aquela causa ali.
Como por exemplo uma Urticária. Então o Óleo de Lavanda é excelente para você tratar uma urticária, uma coceira. Mas se você tomar um Anti-histamínico, por exemplo, ele poder ter uma ação mais rápida, mas em compensação ele pode não estar tratando, pois, se o fundo do problema for psicológico, por exemplo: causado por stress, o Anti-histamínico vai tratar ali a pele, aquilo que está mostrando, mas o Óleo de Lavanda não, ele já vai trabalhar a causa, então ele vai diminuir o efeito da coceira, da irritação e vai "ta" trabalhando a causa também.
Então depende do que a pessoa quer, depende do tempo, depende do organismo, depende da doença, da enfermidade... então, essa resposta é bem... depende, depende da linha que a pessoa quer seguir... então, a gente não pode dar um sim ou um não. No meu caso, como eu estudo as duas partes, porque trabalho também com medicamentos sintéticos, eu acho que deve avaliar cada caso, cada pessoa, cada enfermidade.


Existe alguma contraindicação para o uso de Óleos Essenciais?
R- Apesar de naturais, os Óleos Essenciais precisam sim de cuidados no uso. Então pessoas que tenham feito Peeling ou usado ácidos fortes devem aguardar 7 dias para começarem a usar, mulheres que estejam grávidas ou amentando devem usar somente com indicação de profissional ou de terapêutico. Hipertensos ou hipotensos devem observar a ação de cada óleo e crianças, idosos e epiléticos devem usar com cautela. 

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »