05/11/2020 às 21h29min - Atualizada em 05/11/2020 às 21h26min

O "bom dia" do brasileiro nunca mais será o mesmo

Conheça a mente por detrás de um dos personagens mais icônicos da televisão brasileira

Viviane Ramos - Editado por Gustavo H Araújo
Reprodução: charge do perfil 'Desenhos do Nando'

Já imaginou conversar com um fantoche? Parece loucura, mas foi isso o que aconteceu na Rede Globo desde 1997, com o nascimento do icônico e único Louro José. O personagem inventado para alegrar as manhãs do programa "Mais Você" e ser o companheiro fiel da apresentadora Ana Maria Braga trouxe momentos de extrema alegria e humor para todos os brasileiros que acompanhavam a programação. Mas já que o pequeno papagaio era um fantoche, quem estava por detrás dele durante todo esse tempo?

 

Neilton Veiga Júnior, mais conhecido como Tom Veiga, era ator, mas começou a trabalhar na produção do programa "Mais Você". Ana Maria Braga sentiu falta de algo mais cômico na gravação, algo que trouxesse leveza e alegria para quem assistisse, foi aí que Tom, até então assistente de produção, deu a ideia de criar um papagaio que apresentaria o programa ao lado da Ana, e que ele mesmo dublaria perfeitamente. Em 6 de março de 1997, o eterno Louro José faz sua primeira aparição em TV aberta, um marco na televisão brasileira.

 

O pequeno papagaio que ocupava a bancada do programa e sempre fazia comentários durante a transmissão, conquistou um lugar mais do que especial no coração dos brasileiros. Era impossível não rir com as piadas do pequeno mascote. Tom Veiga conseguiu dar vida a um pequeno boneco e fazendo dele um ícone na produção televisiva. Além de ter o seu rosto estampado em brinquedos e propagandas, Louro José inspirou o surgimento de outros fantoches na televisão brasileira, como o rato Xaropinho, do Programa do Ratinho (SBT) e a cobra Judite do programa Balanço Geral (Record TV).

 

Com quase 25 anos no ar, ninguém imaginava que na sexta feira (30), seria a última vez em que veríamos e ouviríamos o amado papagaio Louro José. No dia 1 de novembro de 2020, Tom Veiga, com apenas 47 anos, foi encontrado morto em seu apartamento, vítima de um AVC hemorrágico. A notícia chocou o país e fez o feriado de Finados no dia 2 de novembro ser ainda mais triste do que o normal, homenageando e relembrando momentos do homem que revolucionou a comunicação entre o ser humano e o algo inanimado.

 

Nas redes sociais, famosos e fãs lamentaram a partida precoce do produtor: “Pelo pouco que conheci Tom deu pra sentir a pessoa especial que ele era. Muito amoroso e alegre!”, declarou a atriz Juliana Paiva. “O Tom era um cara incrível!”, foi o que disse a ex-BBB Ana Clara. Além dos famosos que tiveram a oportunidade de conhecer a grande mente por detrás do pequeno papagaio, as pessoas que cresceram com a presença do mascote em todas as manhãs não deixaram de demonstrar a tristeza que é perder um personagem tão único: “Durante toda a minha infância tive somente dois amigos, Ana Maria e Tom (Louro)... aprendi a cozinhar com vocês, aprendi a levar a vida de uma forma divertida, aprendi que somos capazes de enfrentar os obstáculos… sempre com vocês… meu coração dói como se fosse alguém da minha família", declarou um internauta ao descobrir o falecimento de Veiga. Por fim, uma grande fã do programa relembra a alegria que era ouvir e ver o papagaio em todas as manhãs: “Aquela tua voz ainda ecoa em nossos ouvidos, parece sempre ter sido a mesma, aquele mesmo Tom, com aquela risada, aquele carisma, um vínculo com nós, telespectadores, que você construiu e fez de forma tão única e tão simples, assim como o amor.” Ela finaliza com as lembranças do marco que Louro José teve em sua infância e a lição que ele lhe deu para toda a sua vida: “Você era o equilíbrio do ser adulto e ser criança, da imaginação e da realidade, da seriedade e do engraçado, da reflexão e da piada. Você nos marcou profundamente, nos mostrando e nos dando um algo a mais de você, que ao mesmo tempo fazia parte de você.”

 

Alegria, humor, leveza, risadas e competência, essas e muitas outras coisas faziam ser quem era o Louro José e Tom Veiga, chega a ser estranho se referir ao Louro e ao Tom como pessoas diferentes, não era o que parecia. Tom trazia clareza, seriedade e lições valiosas através de um pequeno boneco, e ninguém se sentia constrangido por falar ou gostar tanto de um fantoche. Veiga trouxe vida a um boneco, alegria para o Brasil e inovação para a televisão nacional. Tom Veiga irá morar para sempre nos corações de todos os brasileiros que tiveram a honra de conhecer o seu trabalho e o seu caráter. O Brasil perde um ícone, mas ganha uma inspiração.

 

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »