04/12/2020 às 17h56min - Atualizada em 04/12/2020 às 17h44min

Estado de São Paulo retorna para fase amarela

O estado retrocedeu o plano de reabertura econômica na quarta-feira (2)

Gabriela Pereira - Editado por Ana Paula Cardoso
No dia 30 de dezembro, foi anunciado o regresso de todo o estado paulista para uma fase de maior restrição do Plano SP. A medida é valida até o dia 4 de janeiro e visa diminuir o contágio e os casos do novo coronavírus. A medida começou a valer a partir da última quarta-feira (2).

A decisão foi tomada devido ao elevado número de casos recentes. São Paulo registra mais de 40 mil mortes e aproximadamente um milhão de casos confirmados da Covid-19.

ENTENDA O PLANO SP

O plano de recuperação econômica e enfrentamento da pandemia consiste em observação do número de casos, quantidade disponível de leitos e mortes por coronavírus. De acordo com esses fatores, a quantidade de restrições diminuiria proporcionalmente.

"Com o claro aumento da instabilidade da pandemia, o governo do estado de São Paulo e o Centro de Contingência da Covid-19 decidiram que 100% do estado vai retornar para a fase amarela do Plano SP. Essa medida, quero deixar claro, não fecha comércio, nem bares, nem restaurantes. A fase amarela não fecha atividades econômicas, mas é mais restritiva nas medidas para evitar aglomerações e o aumento do contágio" afirma João Doria (PSDB), governador do estado de São Paulo.



A atualização ocorreu um dia após o encerramento das eleições, o que gerou grande debate na população. Além disso, os critérios de análise foram alterados, uma vez que se fossem mantidos, a capital poderia ter que voltar para a fase laranja no plano de recuperação.

Além disso, o Centro de Contingência do Coronavírus em São Paulo afirmou que diminuirá o tempo de avaliação dos dados da pandemia de 28 em 28 dias para avaliações semanais.

PERMISSÕES DA FASE AMARELA

Shoppings, galerias e semelhantes
 
  • Ocupação máxima limitada a 40% da capacidade do local;
  • Horário reduzido para 10h diárias;
  • Praças de alimentação ao ar livre ou em áreas arejadas;
  • Adoção dos protocolos geral e setorial específico.
 
Comércio
  • Ocupação máxima limitada a 40% da capacidade do local;
  • Horário reduzido para 10h diárias;
  • Adoção dos protocolos geral e setorial específico.
 
Serviços
 
  • Ocupação máxima limitada a 40% da capacidade do local;
  • Horário reduzido para 10h diárias;
  • Adoção dos protocolos geral e setorial específico.
 
Consumo local, bares, restaurantes e similares
 
  • Somente ao ar livre ou em áreas arejadas;
  • Ocupação máxima limitada a 40% da capacidade do local;
  • Horário reduzido para 10h diárias;
  • Consumo local até às 17h;
  • Adoção dos protocolos padrões e setoriais específicos.
 
Salões de beleza e barbearias
 
  • Ocupação máxima limitada a 40% da capacidade do local;
  • Horário reduzido para 10h diárias;
  • Adoção dos protocolos geral e setorial específico.
 
Academias de esportes de todas as modalidades
 
  • Ocupação máxima limitada a 30% da capacidade do local;
  • Horário reduzido para 10h diárias;
  • Agendamento prévio com hora marcada;
  • Permissão apenas de aulas e práticas individuais, mantendo-se as aulas e práticas em grupo suspensas;
  • Adoção dos protocolos geral e setorial específico.
 
Eventos, convenções e atividades culturais
 
  • Permitido após a região ficar ao menos 28 dias consecutivos na fase amarela (apenas caso a região tenha avançado das fases laranja ou vermelha);
  • Ocupação máxima limitada a 40% da capacidade do local;
  • Obrigação de controle de acesso, hora marcada e assentos marcados;
  • Venda de ingressos de eventos culturais em bilheterias físicas, desde que respeitados protocolos sanitários e de distanciamento;
  • Assentos e filas respeitando distanciamento mínimo;
  • Proibição de atividades com público em pé;
  • Adoção dos protocolos geral e setorial específico.
 
O prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB) afirmou que não manterá os espaços culturais abertos, mesmo que exista essa possibilidade na fase amarela. Esses espaços deverão voltar apenas quando a capital voltar para a fase verde. O governo do Estado afirma que manterá as medidas de proteção, distanciamento social e conscientização da população no tocante a pandemia.

Nesse tempo de flexibilização, foram observadas imensas aglomerações e falta de cuidados. Bares e baladas lotados, festas clandestinas foram amplamente denunciados, mas apesar dos esforços, não foi possível conter esses tipos de aglomeração.

No entanto, toda essa resposta é resultado de uma péssima gestão da pandemia do governo federal que refletiu no comportamento da população. Desde o primeiro momento, a crise não foi levada a serio pela representação máxima da república.
 





REFERENCIAS 

M. FERRARI< SÃO PAULO VOLTA NESTA QUARTA FEIRA A FASE AMARELA, VEJA O QUE MUDA> CNN BRASIL. 02 DE DEZEMBRO DE 2020. DISPONIVEL EM <
https://www.cnnbrasil.com.br/nacional/2020/11/30/saiba-o-que-muda-em-sp-com-volta-do-estado-para-fase-amarela>

 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »