12/12/2020 às 17h26min - Atualizada em 12/12/2020 às 16h23min

Missão chinesa para a Lua é concluída com êxito

Paulo Marques Pinto - labdicasjornalismo.com
Com informações do CanalTech.
Getty Image
A missão chinesa Chang'e 5, que decolou no dia 23 de novembro, pousou na Lua no ínicio de dezembro, e rapidamente coletou amostras de rocha fragmentada e encontrou com o módulo orbital para voltar a Terra. Ocorrido em 5 de dezembro, o acoplamento não precisou da assistência dos satélites.

A cápsula de amostras lunares foi armazenada em um contêiner selado, junto a cerca de dois quilos de rochas e poeira lunar, segundo a agência espacial chinesa CNSA. Pela primeira vez, dois acoplamentos de espaçonaves se encontraram automaticamente na órbita lunar, o que não acontecia desde 1972, quando a última missão da NASA, Apollo 17, fez o procedimento controlado por astronautas.

A Chang'e 5 vai separar a nave orbital com a cápsula de reentrada e pousar na Mongólia Interior, ao norte da China, a 16 ou 17 de dezembro, segundo o cronograma atual. Com isso, a China pode ser o terceiro país a trazer amostras lunares para a Terra, depois de EUA e União Soviética.

A missão chinesa Chang'e 5, que decolou no dia 23 de novembro, pousou na Lua no ínicio de dezembro, e rapidamente coletou amostras de rocha fragmentada e encontrou um módulo orbital. Ocorrido em 5 de dezembro, o acoplamento não precisou da assistência dos satélites.

A cápsula de amostras lunares foi armazenada em um contêiner selado, junto a cerca de dois quilos de rochas e poeira lunar, segundo a agência espacial chinesa CNSA. Pela primeira vez, dois acoplamentos de espaçonaves se encontraram automaticamente na órbita lunar, o que não acontecia desde 1972, quando a última missão da NASA, Apollo 17, fez o procedimento controlado por astronautas.

A Chang'e 5 vai separar a nave orbital com a cápsula de reentrada e pousar na Mongólia Interior, ao norte da China, a 16 ou 17 de dezembro, segundo o cronograma atual. Com isso, a China pode ser o terceiro país a trazer amostras lunares para a Terra, depois de EUA e União Soviética.
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »