29/04/2021 às 18h47min - Atualizada em 29/04/2021 às 18h16min

Nasa produz oxigênio em Marte pela primeira vez

Isabela Mello - Editado por: Celine Almeida
Foto: NASA/JPL-Caltech

Nesta quarta-feira (21), foi confirmado pela Nasa que o rover Perseverance, mandado a Marte, conseguiu produzir oxigênio pela primeira vez no planeta. Apesar da máquina presa ao veículo ter feito apenas 5 gramas de oxigênio, a quantidade já seria suficiente para um astronauta ter 10 minutos de reserva de ar respirável. O robô já havia sido o primeiro a fazer um helicóptero autônomo controlado da Terra sobrevoar pelo Planeta Vermelho

Como a atmosfera de Marte é tóxica por ser composta por 96% de dióxido de carbono (CO2), o experimento é um grande avanço científico. Para produzir o oxigênio foi utilizado um equipamento chamado MOXIE (Mars Oxygen In-Situ Resource Utilization Experiment, ou Experimento para Utilização de Recursos Locais de Oxigênio em Marte, em português), uma caixa do tamanho de um projetor de imagens, com cerca de 17 quilos. No processo químico feito, MOXIE usou o calor (800 graus Celsius) para quebrar as moléculas de CO2 extraídas da atmosfera e dividi-las em gás carbônico (C) e oxigênio (O). O monóxido de carbono (CO) foi devolvido à atmosfera de Marte e o oxigênio livre, armazenado.

 
 

O que a produção de oxigênio em Marte significa agora

Ainda é cedo para mandar muitos astronautas em grandes missões no planeta, mas a produção de oxigênio por lá já comprova que isso é possível. O elemento, além de usado na manutenção da vida das pessoas, também é o principal combustível de foguetes. Para um foguete sair de Marte e retornar à Terra, seria preciso de 25 toneladas de oxigênio e mais sete de um outro combustível e, com a nova descoberta, será mais simples realizar esse processo. Em vez de levar da Terra para o Planeta Vermelho as 25 toneladas do elemento, será mais fácil transportar um conversor de oxigênio mais eficiente que o MOXIE, o que é bem mais seguro, barato e rápido.

Por outro lado, com apenas uma tonelada de oxigênio no total, já seria possível sustentar quatro astronautas durante um ano na superfície de Marte, segundo Michael Hecht, do Observatório Haystack do Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT) e investigador principal do MOXIE.

Próximos passos da NASA

A Nasa irá fazer uma série de experimentos a partir dessa novidade, entre elas está a provável criação de um equipamento semelhante ao MOXIE, porém bem maior para ser possível produzir largas quantidades de oxigênio e, a continuação dos testes de produção de oxigênio em Marte. Segundo a Nasa, MOXIE irá produzir O2 mais nove vezes ao longo de dois anos terrestres (equivalente a um ano marciano), o que servirá para verificar e caracterizar o funcionamento da máquina, como ela se comporta em diferentes condições atmosféricas e testar seus limites.

 

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »