27/11/2021 às 07h35min - Atualizada em 27/11/2021 às 07h54min

Afinal de contas, é bom ou ruim? "Eternos" através do olhar de quem mais entende do assunto: os fãs

Três espectadores opinam sobre o desenvolvimento do filme, o boicote sofrido pela obra no universo das avaliações e oferecem suas visões a respeito do futuro do Universo Cinematográfico Marvel (MCU)

Thayzuki Santos - Editado por Fernanda Simplicio
Fonte: Marvel Studios / Reprodução: Google
Com a reabertura gradual dos cinemas, uma das grandes apostas para 2021 era o lançamento de "Eternos", mas apesar da enorme expectativa, a recepção não foi tão positiva. Prestes a completar um mês de estreia, a produção da Marvel obtém a pior nota de aprovação da crítica entre todos os filmes da franquia. Atualmente, a obra possui o status de "tomate podre" no site Rotten Tomatoes, com 359 avaliações feitas até o momento.
 
O longa dirigido por Chloé Zhao, inclusive, sofreu boicote antes mesmo de sua estreia. A decisão da Marvel de incluir no enredo o primeiro herói LGBTQIA+ do universo cinematográfico (MCU) não agradou ao público conservador e, em resposta, a página do filme no IMDb – outro site de críticas – foi bombardeada com avaliações negativas. Diante da polêmica, a plataforma removeu os comentários e restringiu novas publicações até a data oficial de lançamento.

Aprofundando o tema, três fãs do MCU foram convidados a apresentarem suas considerações a respeito da obra.

Como fã, após assistir ao filme, você sentiu que as suas expectativas foram alcançadas, ou até mesmo superadas? Poderia destacar um ponto positivo e um negativo sobre a obra?
 
Matheus Ordakowski (26 anos, publicitário): Em partes. O filme quebra um pouco da tradicional fórmula Marvel, mas mantém algumas coisas que incomodam, como o excesso de piadas, por exemplo. Também não gostei da maneira rasa como alguns personagens foram retratados, ficando em segundo plano e tendo arcos narrativos bem curtos. Pensando num todo, gostei bastante do filme, as cenas são visualmente muito bonitas e bem dirigidas, e a diversidade é abordada de forma muito natural.

 
Teodoro do Nascimento (25 anos, professor de Literatura): Como fã da Marvel e alguém que acompanha há anos o trabalho da Zhao, eu esperava mais. Com nomes como Angelina Jolie e Barry Keoghan no elenco, esperava uma pegada mais dramática, mais "história e contemplação", porém o filme acabou sendo mais do mesmo, com personagens interessantes que tiveram poucos momentos para brilhar. O elenco é ótimo, as atuações foram excelentes, mas a obra não deixa de ser mediana.

"Eternos" foi alvo de boicote no IMDb devido ao enredo apresentar o primeiro herói abertamente gay. O site foi bombardeado de avaliações negativas de usuários que sequer haviam assistido ao filme. Qual é a sua opinião a respeito da decisão da Marvel de agregar os conceitos de inclusão e representatividade às suas obras?
 
Nathália Brum (25 anos, estudante de Direito e criadora de conteúdo): Achei sensacional, já estava passando da hora de isso acontecer. A Marvel precisava fazer esse tipo de inclusão, para que as pessoas pudessem verdadeiramente se identificar. Vimos como o lançamento de "Pantera Negra" trouxe à tona a importância da representatividade, não só entre os fãs, mas para o mundo. Obviamente esse boicote aconteceria, visto o preconceito ainda ser tão enraizado em nossa sociedade. Mas o passo dado pela Marvel foi incrível, e a forma como essa questão foi trazida no filme gera a sensação de acolhimento.

Matheus: Gostei muito, mas ainda achei que o filme se arrisca pouco ao manter o foco da história no homem hétero branco. Mesmo assim, entendo que essa é uma história de transição e por isso ainda se mantém apegada ao público já estabelecido. Imagino que os próximos filmes irão mais além nessas discussões de inclusão e diversidade.


No universo da crítica especializada, o filme amarga 48% de aprovação, sendo essa a pior nota entre as produções cinematográficas da Marvel, contra 80% de aprovação do público. O que, na sua opinião, justificaria esta diferença tão significativa entre a percepção da crítica e dos espectadores?
 
Teodoro: Muitas pessoas chegam às salas de cinema amando o filme apenas por ser fã do Universo Marvel, talvez seja a hora de questionar algumas produções, mas pelos motivos certos. Apesar disso, acho que a crítica pegou pesado por esperar o mesmo que eu, uma versão Zhao da Marvel, e não mais uma produção como as outras. Para quem acredita que em time que está vencendo não se mexe, esse filme pode ser um 80%. Mas para quem acredita que talvez seja a hora de tentar novas abordagens, esses 47% podem ser um ótimo aviso, um pedido por mudanças.
 
Nathália:
 Além do boicote por conter diversas minorias protagonizando um filme mundialmente famoso, acho que a primeira cena de sexo do MCU teve um peso significativo quando falamos de críticas. Os fãs possuem a mente bem mais aberta, acompanham o universo dos heróis com uma perspectiva completamente diferente. Eu diria que os fãs são mais especialistas do que os próprios críticos.


Fazendo uma breve retrospectiva de todos os filmes da franquia, você acredita que a Fase 4 está seguindo uma linha mais promissora em relação às fases anteriores?
 
Matheus: No sentido da representatividade, com certeza sim. Mas no sentido da qualidade narrativa ainda é difícil dizer, porque sinto que a Fase 4 sequer começou. Sem dúvidas, será bem diferente do que já foi feito antes, mas ainda não sei como.
 
Nathália: Acredito que estamos finalmente saindo da "bolha dos Vingadores", navegando por novos pontos de vista de acontecimentos que já conhecemos. Por exemplo, em "Eternos" fomos apresentados a um núcleo totalmente diferente, que certamente derrotaria o Thanos, mas que não podia interferir nos acontecimentos humanos, por assim dizer. Em "Shang-Chi", percebemos que há muito mais no universo de heróis do que Homem de Ferro, Capitão América e cia. Estamos finalmente nos desprendendo e conhecendo novos personagens, e isso é maravilhoso.
 
Teodoro: A Fase 4 está sendo mais progressista em termos de representatividade, mas isso não é o suficiente. Acredito que falta algo fresh, como nas séries. Conhecer os personagens além dos filmes tem sido uma experiência bem mais deliciosa. Por exemplo, em "Loki" foi um deleite conhecer as outras facetas do personagem, o roteiro da série tinha um "tempero" que os filmes não estão conseguindo mais ter, pois são tantos personagens que às vezes acaba dificultando a nossa conexão.

REFERÊNCIAS:
 
VIVEIROS, M. Eternos: Executiva da Marvel Studios fala sobre reação negativa da crítica ao filme. Legião dos Heróis. 15 de nov. de 2021. Disponível em: Acesso em: 19 de nov. de 2021.
 
VIVEIROS, M. Eternos: Filme é alvo de ataques por apresentar relacionamento LGBTQ+. Legião dos Heróis. 28 de out. de 2021. Disponível em: Acesso em: 19 de nov. de 2021.

 

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »