11/12/2021 às 16h43min - Atualizada em 11/12/2021 às 13h05min

Caminhos de devoção à Nossa Senhora de Guadalupe

Conheça o Santuário que conta a história das aparições da Virgem Maria na atual Cidade do México

Thalita Vizioli - Editada por Victória Silva
viagensecaminhos.com

Dez anos após a batalha por Tenochtitlan, que culminou na queda da civilização Asteca e o início da colonização espanhola do México, em 1531, no alto da Colina de Tepeyac, o indígena Juan Diego Cuauhtlatoatzin caminhava ao amanhecer quando foi surpreendido por um admirável cântico de  pássaros. Logo então, por cima das montanhas, uma voz o chamava, era a Virgem Maria, o pedindo para que relatasse ao Bispo toda a visão que tivera, com a finalidade de que ali fosse construído um templo a Ela. 


Mesmo que transmitida a mensagem detalhadamente, o Bispo não a atendeu, por desconfiar das palavras que o jovem dizia em nome da Mãe. E só passaria a crer se a ele fosse enviado um sinal. 

 

Foi então durante a 3ª aparição que a Virgem assim prometera, e fez após a 4ª aparição, brotar diferentes tipos de rosas no topo de Tepeyac, onde haviam se encontrado pela primeira vez. No inverno o clima não era propício e na região havia vários penhascos, espinhos e ervas daninhas que impediam o crescimento das flores. Mas ao chegar no topo, Ruan as encontrou frescas, colheu e as  protegeu em seu tilma, um tipo de manto feito de cacto usado pelos povos pré-colombianos. 

 

Ao se encontrar com o Bispo, Juan Diego desenrolou a tilma e quando as rosas se espalharam no chão, apareceu desenhado no tecido, a preciosa imagem da Virgem Maria. 

 

 

Nossa Senhora de Guadalupe passou a ter grande devoção no México e o seu Santuário, composto por diversas igrejas e espaços que contam a belíssima história de devoção, é o segundo templo Católico mais visitado do mundo, recebendo cerca de 20 milhões de fiéis por ano. 

 

CAPILLA DE ÍNDIOS 
 

Localizada em um dos locais de aparições, foi a primeira igreja dedicada ao culto a Virgem Maria pelos nativos. É a mais antiga em todo o complexo da Basílica, e em seu interior ainda é possível observar partes da construção original. 

 

Segundo as tradições, a Capilla de Índios abrigou a imagem original da Virgem de Guadalupe de 1695 a 1709, que posteriormente foi transferida para a antiga Basílica para exposição a um maior número de devotos.

 

Ao lado da igreja está a casa onde o São Juan Diego morou até seu falecimento em 1548, onde  encontram-se também suas relíquias. 

 

ANTIGA BASÍLICA DE GUADALUPE
 

Hoje denominada Templo Expiatório a Cristo Rei, a construção barroca,  com quatro torres octogonais, 15 abóbadas e uma cúpula forrada a azulejos amarelo e azul, foi construída em 1695 e inaugurada em 1709, para abrigar a Imagem original da Virgem de Guadalupe. 

 

No entanto, após o bombardeio em 1921, 95% do templo foi destruído, e parte da construção afundou, então fechou suas portas por 24 anos, até que concluísse sua restauração. Durante o episódio, apenas a Imagem Santa se manteve intacta, e foi  transferida diversas vezes para a Igreja Paroquial de Santa Maria de Guadalupe, e posteriormente a Nova Basílica de Guadalupe. 
 

  PARÓQUIA SANTA MARIA DE GUADALUPE

 

Construída entre 1792 e 1797, o templo foi primeiramente utilizado como convento das mães capuchinhas de Santa Maria de Guadalupe até 1863. 

 

Foi nessa igreja em que a imagem de Nossa Senhora foi abrigada, durante as reformas da Antiga Basílica e construção da Nova. 

 

Hoje, no retábulo central, a paróquia exibe uma imagem da Sagrada Família, feita com tinta acrílica em 1998. E apesar de também estar afundando, devido às condições do solo pantanoso, aos domingos acontecem missas abertas ao público.          

NOVA BASÍLICA DE GUADALUPE
 

A construção iniciada em 1974, inaugurou em 12 de outubro de 1976 uma estrutura circular moderna, com capacidade para mais de 40 mil pessoas, pretendendo simbolizar a tenda que abriga a Arca da Aliança em sua marcha pelo deserto.

Em seu interior, a Imagem original da Virgem de Guadalupe, que está contida atrás do altar e abaixo de uma cruz, pode ser vista de quase todos os lados. Mas ainda é possível contemplá-la de perto através de um esteira rolante que leva os visitantes até os da Padroeira da América Latina. 

Ainda no templo, encontra-se de 1980 intitulado “O presente da ressurreição Acima do primeiro piso, há diversas divisórias onde são celebradas missas simultaneamente. 

 


CAPILLA DEL POCITO
 

Antes mesmo da construção da igreja, no local onde ocorreu a 4ª aparição da Virgem Maria, um pequeno poço milagroso atraía muitos penitentes em busca de curas. Assim, em 1777, para receber os visitantes, a nascente natural na base do morro de Tepeyac foi abençoada com a Capela do Pequeno Poço. 

 

PARQUE DE LA OFRENDA 
 

Em um belo jardim, muitas fontes e esculturas criam a encenação das aparições de Nossa Senhora. E no fundo de todas as grandes edificações, uma escadaria leva até o alto da Colina de Tepeyac, onde ocorreu o milagre das rosas e hoje encontra-se a Capilla de San Miguel. 

 

CAPILLA DEL CERRITO – CAPILLA DE SAN MIGUEL 
 

Durante muitos anos, o local onde ocorreu a primeira aparição de Nossa Senhora ao jovem indígena, era apenas indicado por uma cruz de madeira. Foi então em 1660, que o padre Juan de Montufar mandou construir o atual templo barroco neocolonial. 


O espaço funciona também como um mirante, que proporciona a vista de toda a Cidade do México. 

 

MUSEO DE LA BASÍLICA DE GUADALUPE
 

Inaugurado em 1941, o museu abriga a maior coleção de arte do mundo relacionada a Nossa Senhora de Guadalupe, dentre elas pinturas, esculturas e objetos litúrgicos. Também fazem parte do acervo de mais de 4 mil objetos, obras de arte novo-hispânicas, europeias e asiáticas que datam do século XV ao XX. 

 

Como o museu integra a Antiga Basílica, em um de seus salões está exposta a antiga sacristia do templo original de Guadalupe, que foi preservado desde a época do colapso parcial do edifício no início do século XX. 

  

CARILLÓN – CAMPANÁRIO E RELÓGIO DA BASÍLICA
 

Inaugurado em 1991, o monumento de 23 metros de altura, é composto por um conjunto de sinos que podem ser tocados simultaneamente para obter até 23  melodias diferentes, além de ser um relógio que propõe mostrar uma diversidade de formas de medir o tempo. 

 

Na frente um encontram-se um relógio civil e um relógio astronómico, ao lado direito há um relógio de sol, que marca o tempo com a sombra do sol projetada na superfície, e ao lado esquerdo, um relógio asteca que, com base nas observações lunares.

 

O Carrillón é finalizado na frente por um palco circular onde se encontra a história das aparições da Virgem. 


Referências: 

AS aparições de Nossa Senhora de Guadalupe. Comunidade Shalom. Disponível em: https://comshalom.org/as-aparicoes-de-nossa-senhora-de-guadalupe/
 . Acesso em:  4 de dez. de 2021

SANTUÁRIO de Nossa Senhora de Guadalupe - México. Viagens e Caminhos. Disponível em: 
https://www.viagensecaminhos.com/2019/05/santuario-guadalupe.html . Acesso em: 4 de dez. de 2021.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »