19/05/2019 às 19h21min - Atualizada em 19/05/2019 às 19h21min

Ligadas por Amor

"Quando duas pessoas escutam uma a outra pacientemente, Deus as escuta também." - Talmude judaico

Amanda Ketlyn - Editado por: Leonardo Benedito
Foto: Amanda Ketlyn.

A rivalidade feminina é algo na qual mulheres sempre foram subjetivamente encorajadas a terem umas com as outras. Criadas com o conceito de que são inimigas e tendo essa ideia diariamente propagada pela indústria cultural, temos essa competição que durante séculos foi tachada como normal. Fé, empatia, sororidade e uma vontade enorme de fazer a diferença, essa foi a base para o surgimento do “Ligadas por Amor”, em 2018, na cidade de Campina Grande - PB.

O projeto, esse ano, está espalhando post-its motivacionais e sobre fé nas universidades em que as integrantes estudam, entre elas estão: UEPB, Facisa, Fip e no ISEA. A integrante Katariny Steffâni contou um pouco sobre esse novo rumo que o projeto tomou. “A motivação foi para espalhar o amor de Deus, porque acreditamos que o ambiente universitário já é muito hostil, e às vezes uma frase pode mudar a vida das pessoas. Nós estamos muito felizes com todo o crescimento do projeto e, também, surpresas porque foi muito mais do que a gente imaginou que seria”.

Às vezes tudo que precisamos são palavras de conforto ou algo que nos encoraja a prosseguir. Como foi mencionado pela componente do Ligadas por Amor, o ambiente universitário é hostil e carrega uma pressão psicológica que várias pessoas não estão preparadas para suportar e ao chegarem lá e se depararem com mensagens motivacionais sabendo que não estão sós, encontram um motivo para suportar os desafios diários. Carl Rogers, um dos precursores da abordagem humanista da psicologia, definiu a empatia como “viver temporariamente a vida do outro, morar ali dentro, e se mover ali de forma muito delicada, sem fazer nenhum tipo de julgamento, buscando perceber sentimentos que ela provavelmente não tomou consciência, bem como procurando não reprimir os sentimentos que parecem ameaçadores e que ela porventura já tenha percebido” e é isso que esse grupo de amigas fazem através das suas mensagens.

Katariny relatou que o grupo recebe diariamente mensagens de pessoas que afirmas ter sido tocadas pelas mensagens que leram. Aconteceu, ainda, uma experiência que marcou as integrantes do projeto, “Teve uma pessoa que nos procurou e nos contou que tinha depressão, mas que as frases que ela lia diariamente dava forças para ela prosseguir. Muitos outros depoimentos falam de pessoas que estavam desanimadas, passando por muitos problemas, com vontade de desistir ou lutando contra alguma doença psicológica, e elas se sentem melhor após ler os bilhetinhos”.
Projetos que visam espalhar empatia e amor ao próximo são de uma importância sem tamanho. Para as integrantes, a sensação de dever cumprido é gratificante e sem igual. “Todas nós do Ligadas estamos extasiadas com tudo o que tem acontecido. E sabemos que tudo isso está acontecendo não porque somos boas, mas porque é Deus quem está agindo! Nada que fazemos é para o nosso reconhecimento, mas é tudo para Ele. Então, nós nos sentimos privilegiada por Deus ter nos escolhidos para ser um canal dEle aqui na terra! Nós sentimos que estamos fazendo a coisa certa e isso nos traz uma enorme felicidade!”.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »